Moradores se arriscam com barcos em rio que teve passarela arrastada no Oeste de SC

Atualizado

Moradores de duas cidades do Oeste de Santa Catarina estão inconformados com a situação que estão vivendo. Há seis anos, eles pedem a reconstrução de uma passarela que liga Xavantina a Faxinal dos Guedes.

A travessia entre as cidades, que juntas contam com população de 15 mil habitantes, ocorre apenas de barco. A passarela que tinha no local foi destruída por uma enchente. Desde então, a situação não mudou e tem revoltado os moradores da região.

O produtor Lenoir de Souza, de 41 anos, já perdeu as contas de quantas vezes fez essa travessia. Ele mora em Xavantina e vai com frequência para Faxinal dos Guedes levar a produção de melão, tomate e melancia.

Leonir Souza – Foto: Felipe Bastos/RICTV

“Não tem outro jeito se não for colocar dentro do caíco [barco de madeira] que comporta até 300 kg de melancia. Muitas vezes, arriscamos a própria vida com isso”, revelou o produtor.

Os produtores levam as mercadorias até o lago, colocam na embarcação, atravessam o rio, descarregam e encaminham de carro até o Centro de Faxinal dos Guedes, onde são comercializadas.

Além do transporte da produção das frutas, a agricultora Marilúcia de Souza se preocupa com a locomoção da sogra que é cadeirante e precisa regularmente de cuidados médicos.

“Ela é pesada e sofre com Alzheimer. Para isso, precisamos de força nos braços, coragem e persistência”, contou Marilúcia.

Travessia

Moradores das duas cidades fazem uso dos barcos de madeira para escoar a produção das frutas, além de transportar mantimentos para casa. A reportagem flagrou o momento em que duas motocicletas eram transportadas.

Anselmo dos Santos, que coleta ovos, diz que precisou pedir demissão da empresa onde trabalhava, pois não aguentou enfrentar a dificuldade todos os dias.

Por movimentar moradores das duas cidades, seria necessária uma parceria entre às duas prefeituras para a construção.

Passarela antiga por derrubada durante uma enchente – Foto: Felipe Bastos/RICTV

O prefeito de Faxinal dos Guedes, Gilberto Lazzari, diz que o Executivo já fez estudo para a construção de uma passarela, mas não encontrou uma empresa interessada em fazer a obra.

“O custo também é um tanto elevado e hoje deve passar de R$ 60 mil. Se considerar o custo benefício, não vale a pena”, diz Lazzari.

Enoir Fazolo, o prefeito de Xavantina, comenta que o município não tem condições de custear a construção de uma ponte no local, por tanto, acredita que a melhor alternativa seria a instalação de uma passarela temporária.

Fazolo destaca ainda que no próximo ano, a área será atingida por uma barragem e está no cronograma da construtora a instalação de uma ponte no local.

“Não vamos investir dinheiro público no momento e deixar embaixo d’água. Devemos conversar e fazer um projeto com segurança”, disse Fazolo.

*Com informações da RICTV 

Geral