Moro detalha ataque a celular pessoal em audiência no Senado

Atualizado

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, detalhou, em audiência da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado Federal nesta quarta-feira (19), o ataque hacker sofrido em seu celular.

Sergio Moro afirmou que foram feitas três ligações com o próprio número de celular durante o ataque hacker – Marcos Correa/PR/ND

Moro afirmou que recebeu a informação de que celulares de procuradores envolvidos na operação Lava Jato foram alvo de ataques. No dia 4 de junho por volta das 18h, o aparelho de Moro teria sido afetado.

“Eu estava com ele em cima da minha mesa, eu vi, fizeram três ligações com meu próprio número”, afirma. Depois disso, uma pessoa enviou uma mensagem a Moro perguntando se ele havia entrado no Telegram, aplicativo de mensagens com os conteúdos vazados. O ministro afirma que não utiliza o aplicativo desde 2017.

Leia também:

“Em princípio, o conteúdo do meu celular não foi acessado. Não temos nenhuma evidência nesse sentido”, afirmou o ministro. Moro explicou que o aparelho foi investigado pela PF (Polícia Federal) no mesmo dia.

Mais conteúdo sobre

Política