Morre catarinense que integrou Força Expedicionária na Segunda Guerra Mundial

Atualizado

O expedicionário Alix Pedro Soares, que em agosto completou 100 anos, morreu na tarde de sábado (19), em Florianópolis. Ele era o último ex-integrante então vivo da Força Expedicionária Brasileira. O catarinense, natural de Governador Celso Ramos, participou da Segunda Guerra Mundial e orgulhava-se de ter o feito sem ter disparado um único tiro.

Imagens de arquivo de Alix Pedro Soares – Foto: Divulgação/ND

Na manhã de ontem, Alix foi velado no cemitério do Itacorubi, onde o Exército prestou homenagem ao ex-combatente. No início da tarde, o corpo de Alix foi levado até Governador Celso Ramos, na localidade de Ganchos do Meio, onde foi sepultado junto aos seus pais.

O ex-integrante da Força Expedicionária morreu em casa, em Florianópolis. Ele deixou a mulher Ivanira Costa Soares, 90, com quem esteve casado a 73 anos. Frutificaram, da relação, cinco filhos, 12 netos e oito bisnetos.

Alix, com a esposa Ivanira Costa – Foto: divulgação/ND

Recentemente, em 2017, eles chamaram a atenção de toda região ao protagonizarem um ensaio fotográfico em alusão aos 70 anos de matrimônio. As Bodas de Vinho foram celebradas a partir de fotos tiradas no bairro Cacupé, na Capital, em janeiro daquele ano.

Getúlio Vargas

Ao voltar da Segunda Guerra, por ser um pracinha, ele teve destinado um cargo na Capitania dos Portos. Em vez de Alix assumir esse cargo, descobriu que outra pessoa fora nomeada no seu lugar. Inconformado, redigiu uma carta a mão para o então presidente Getúlio Vargas.

O movimento deu certo, já que algumas semanas depois, ele recebeu uma resposta de Vargas, que o nomeou ao cargo junto à Capitania dos Portos. Esse é apenas um dos capítulos contados pelo ex-combatente em sua obra denominada “Uma luz no meu caminho”, lançado há dez anos.

Obra em que o ex-combatente da Segunda Guerra Mundial conta detalhes de sua participação – Foto: Divulgação/ND

Notícias