Morre em Florianópolis o fotógrafo Paulo Dutra

Reprodução/Facebook

Paulo Dutra

Morreu às 8h deste domingo (16) em Florianópolis, aos 72 anos, o
fotojornalista Clemente Paulo Dutra, conhecido nos meios profissionais como
Paulo Dutra, que atuou nos veículos de comunicação mais importantes do
Estado entre as décadas de 1960 e 1990. O velório será no Cemitério Jardim
da Paz, a partir das 14h, e o enterro está programado para as 18h deste
domingo (16), no mesmo local. Ele foi vítima de um aneurisma intestinal.
Paulo Dutra foi “descoberto” no set de filmagem de “O Preço da Ilusão”,
pelo escritor e roteirista Salim Miguel. Era um dos moleques da cidade que
acompanhavam a realização do nosso primeiro longa-metragem. Ali nasceu uma
amizade que perdurou por quase 60 anos.

O fotojornalista atuou mais tempo em O Estado, na capital catarinense,
acompanhando todas as transformações do jornal, primeiro a implantar o
sistema offset em Santa Catarina. Atuou na revista Manchete, levado por
Salim Miguel, tornando-se conhecido nacionalmente nas décadas de 1960 e
1970. Também pelas mãos de Salim foi trabalhar na Agência Nacional, hoje
EBC. Transferido da Agência Nacional para a Universidade Federal de Santa
Catarina, lá se aposentou do serviço público.

Trabalhou também no Jornal da Semana e no Jornal de Santa Catarina. Foi o
primeiro colaborador da coluna de Zury Machado (em O Estado) e depois
contribuiu com outros colunistas catarinenses, como Cacau Menezes, Beto
Stodieck, Ricardinho Machado, Luiza Gutierrez, Helinho e Carlos Müller.
Ultimamente – até sexta-feira (14) – publicava imagens da cidade e seus
personagens em sua página pessoal no Facebook.

+

Notícias