Mulher morta na SC-401 pode ter sido atingida por Gol branco com capô amassado

Polícia pede ajuda a quem tiver pistas do carro que atropelou a auxiliar de cozinha Simoni Bridi, que voltava para casa de bicicleta

O delegado Alexandre Carvalho ouviu nesta terça-feira (26) duas testemunhas do acidente que matou a auxiliar de cozinha Simoni Bridi, de 28 anos, atropelada na madrugada de domingo na ciclofaixa da SC-401, na altura do quilômetro 18, perto da entrada de Canasvieiras, Norte da Ilha. Um das testemunhas é irmão da vítima. Segundo o policial, os depoimentos trouxeram informações que “aceleraram o inquérito policial”, mas ele não revelou detalhes.

:: Morte de ciclista em Florianópolis é a sétima na SC-401 nos últimos anos

Bruno Ropelato/ND

Ciclofaixa da SC-401 não oferece proteção a quem pedala pela rodovia

Alexandre Carvalho pediu imagens de câmeras de vigilância localizadas na área do acidente para tentar mais informações sobre o veículo que matou Simoni Bridi. As primeiras pistas obtidas pela polícia dão conta de que se trata de um Gol branco cujo capô ficou amassado.

O carro foi visto por um vigia de posto de combustível em hora e local compatíveis com o acidente.

Quem tiver pistas de um carro com essa descrição pode ajudar na investigação ligando para o disque 181 (anônimo) ou direto para a Central de Polícia do Norte da Ilha (3369-6769 ou 3369-6822).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...