Mulher pede ajuda de crianças para desenterrar filho em cemitério de Camboriú

Polícia foi até o local e encontrou, ao invés de ossada, recém-nascido que pode ter morrido há pouco tempo

Um caso misterioso aconteceu por volta das 18h de segunda-feira (20) no cemitério do Rio do Meio, em Camboriú. Segundo a Polícia Militar, uma mulher chegou ao local de bicicleta e chamou duas crianças que brincavam próximas do cemitério, de oito e 10 anos, para ajudá-la a cavar o túmulo onde o filho morto estava enterrado. O objetivo dela era levar a ossada que estava enterrada para casa. Mas, quando abriu o caixão, viu que o corpo ainda estava em decomposição e desistiu.

Divulgação Núcleo de Prevenção as Drogas e a Pedofilia/ND Vale

Autoridades estiveram no túmulo para verificar o caso

De acordo com as crianças que ajudaram a mulher, quando ela conseguiu abrir o caixão do filho morto havia sangue e tecido, ao invés da ossada de um bebê morto há cerca de um ano. Ela colocou os restos em um saco plástico e enterrou novamente na cova.  De acordo com a polícia, quando as crianças chegaram em casa, a mãe delas sentiu um mau cheiro e perguntou o que aconteceu. Os menores de idade contaram o o caso e a Polícia Militar foi chamada.

Polícia, Conselho Tutelar, Núcleo de Prevenção as Drogas e a Pedofilia e o coveiro do cemitério foram até o túmulo citado pelas crianças. Eles cavaram e viram que realmente o caixão havia sido mexido. Segundo o Núcleo de Prevenção as Drogas e a Pedofilia, foi confirmado que a criança que deveria estar enterrada no local morreu há quase um ano. Quando o caixão foi aberto, eles encontraram um bebê que parecia estar morto há uma semana. 

A mulher foi localizada e ouvida. Ela disse que queria desenterrar o filho que era recém-nascido e morreu em março de 2013 para conhecer a criança, já que estava em coma após o parto e não chegou a ver o bebê. A polícia agora investiga o caso para ver se outro recém-nascido foi colocado no mesmo túmulo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...