Município diz que não testou coronavírus em homem morto com sintomas em Chapecó

Atualizado

Um homem de 32 anos, que morava em situação de rua e morreu na última quarta-feira (25) em Chapecó, no Oeste do Estado, não estava entre os casos suspeitos do novo coronavírus. A informação foi divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde nesta sexta-feira (27).

Saúde de Chapecó disse que homem não apresentou problemas respiratórios – Foto: Willian Ricardo/ND

A diretora técnica da Saúde, Aldarice Pereira da Fonseca afirmou em coletiva de imprensa que não foi coletado material genético do paciente para análise de Covid-19. Ela ressaltou que o homem não tinha problemas respiratórios. 

“Ele tinha outras doenças, esteve internado, tinha exames para ser realizado, mas fugiu do hospital e faleceu na rua. Não foi coletado e não foi investigado, pois não tinha sintoma respiratório. Não houve notificação”, enfatizou a diretora técnica.

Segundo o relatório de ocorrência da Polícia Militar, ainda na última segunda-feira (23), o homem abordou uma viatura policial na rua Afonso Pena, no bairro Bela Vista, às 21h09. 

“O qual pediu socorro, pois estava com febre, dor no corpo e vômito sem parar, e não possuía telefone para acionamento direto”, diz o Boletim de Ocorrência feito pela Polícia Militar e recebido pelo nd+

No documento ainda consta que: “devido os sinais característicos de Covid-19, a guarnição utilizou de equipamentos de proteção individual, bem como forneceu o equipamento ao homem”, diz. 

Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionada e constatou a mesma informação relatada pelos policiais no Boletim, segundo a Polícia Militar. A reportagem teve acesso ao prontuário do paciente do dia do atendimento. 

No documento consta que o acionamento ocorreu por volta das 21h08 com a informação de “automedicação e mal-estar”. Já às 22h03 o diagnóstico relatado foi de febre e mal-estar, por isso, foi conduzido a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Chapecó. 

O homem foi transferido da UPA ao HRO (Hospital Regional do Oeste) por volta da 1h de terça-feira (24). Ele ficou internado, mas fugiu do hospital. 

Homem morreu na quarta-feira (25) 

O segundo Boletim de Ocorrência da Polícia Militar relata sobre a morte do homem. Conforme o documento, o corpo foi encontrado em um terreno baldio às margens da rua Nilo Peçanha, no bairro São Cristóvão, às 21h45 de quarta-feira. 

Uma equipe do Samu esteve no local, conferiu os sinais vitais do paciente e confirmou a morte, por volta das 22h10. 

Durante o dia, segundo a polícia, o homem teria se queixado aos amigos que estaria com dificuldades para respirar e teria tossido muito. “O homem apresentava sintomas de Covid-19”, diz o relatório da Polícia Militar.

As informações foram repassadas por dois homens que estavam junto com o cidadão no momento da morte. Ambos foram orientados pelos policiais a procurarem atendimento médico, caso sentissem algum sintoma relacionado ao novo coronavírus.

A reportagem apurou que o homem possuía histórico clínico de doenças, mas não obteve o acesso ao atestado de óbito do cidadão.

Remoção do corpo 

Devido à condição de morte natural, de acordo com o relatório da polícia, o Resgate Social Municipal esteve no local. Um médico do SVO (Serviço Municipal de Verificação de Óbitos) atestou a morte. Na sequência, o corpo foi removido por uma funerária de Chapecó.

Por telefone, um funcionário da empresa confirmou ao nd+ que o cadáver foi lacrado em um caixão e levado até a funerária. Lá, ficou isolado até o amanhecer de quinta (26) quando foi sepultado no Cemitério Jardim do Éden.

Por orientação médica, conforme o funcionário, a família não pôde realizar o velório. A reportagem não conseguiu localizar a família do homem. 

No relatório da Polícia Militar consta, ainda, que a Vigilância Epidemiológica de Chapecó seria comunicada sobre a morte. O nd+ procurou o município para comentar sobre o assunto na quinta, mas a assessoria não confirmou o diagnóstico, nem detalhou a informação.

Mais conteúdo sobre

Saúde