Na Capital, general Theóphilo anuncia lançamento do Sistema Nacional de Segurança Pública

Em passagem por Santa Catarina, o secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theóphilo, anunciou ontem que o governo federal conseguiu adesão dos quatro últimos Estados que faltavam para a criação do sistema integrado de Segurança Pública. O anúncio foi feito na sede do Comando-Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, onde esteve conhecendo sistemas de tecnologia que poderão ser integrados às estratégias federais.

Secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theóphilo, em visita a Santa Catarina - SENASP/Divulgação/ND
Secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theóphilo, em visita a Santa Catarina – SENASP/Divulgação/ND

Theóphilo também adiantou que o governo federal já conta com estrutura para funcionamento do Banco Nacional de Perfis Genéticos, que facilitará da identificação e captura de autores de crimes e ilícitos. “Agora, estamos todos integrados. Em 15 de março lanço esse sistema, integrado e fidedigno. Então não precisa recorrer ao Fórum Nacional de Segurança Pública, ao Atlas de Segurança, porque quem vai fornecer os dados são os Estados em conjunto com a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública”, disse.

Sobre o banco de perfis genético, que já existe mas não vem sendo atualizado, Theóphilo  disse que o sistema funcionará em conjunto com Sistema Nacional de Segurança Pública. “Nós já temos o banco de perfis genéticos, e ele é uma prioridade do Ministro Sérgio Moro. Todos os peritos, em todos os Estados da federação, já dispõem de laboratório para recolher DNA de condenados e presos. Isso está dentro do pacote da lei anticrime, apresentado essa semana”, informou.

Tecnologia catarinense impressiona Secretário

Theóphilo também conheceu iniciativas próprias das polícias catarinenses e disse que ficou impressionado com o que viu. Segundo ele, a passagem pelo Estado poderá resultar na indicação de algumas ferramentas para o plano nacional. “Principalmente a informatização, ela dá uma agilidade aos processos e conseguimos com mais rapidez achar os culpados por crimes e delitos. Pelo que vi não se precisa muitos recursos, mas sim de parcerias”, afirmou.

Entre as iniciativas destacadas, o secretário disse que vai analisar a implantação do bodyscan (câmera corporal), a realização de Termos Circunstanciados por PMs e o uso de tablets nas viaturas. “Essa compra das câmeras que o policial leva no uniforme para filmar todo o flagrante facilita muito o julgamento, porque não tem como contestar quando você tem o áudio e o vídeo”, disse.

O presidente do Colegiado de Segurança Pública de Santa Catarina, coronel Araújo Gomes, disse que a adoção de estratégias e resultados na Polícia Militar catarinense tem resultado em diminuição dos índices de criminalidade. Gomes destacou que a visita do secretário nacional abre novas perspectivas para o Estado.

“Apresentamos o nosso sistema mobile, que informatiza o policial na ponta, com tablets na viatura, o sistema de câmeras corporais e nosso sistema de indicadores de estatísticas e análise criminal”, disse.

Araújo Gomes também falou de um pedido de R$ 13 milhões para Santa Catarina para o novo projeto de comunicação da Polícia Rodoviária Federal. “O recurso está na fase final de aprovação e isso deve acontecer em um futuro breve”, disse Gomes.

Mais conteúdo sobre

Polícia