No Dia Nacional do Bombeiro, corporação faz campanha de prevenção; confira as dicas

Atualizado

Em celebração ao Dia Nacional do Bombeiro, comemorado nesta terça-feira (2), o Corpo de Bombeiros Militar promoveu uma blitz educativa em frente ao Ticen (Terminal de Integração do Centro), em Florianópolis.

Atuantes no combate a incêndio, bombeiros saíram dos quartéis para instruir a população sobre os riscos de acidentes mais comuns. Durante a manhã, foram entregues panfletos com dicas de prevenção, primeiros socorros e segurança doméstica.

Bombeiros abordaram moradores e repassaram dicas sobre prevenção de acidentes – CBMSC/Divulgação/ND

Segundo o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, coronel Charles Alexandre Vieira, o trabalho de prevenção se mostra eficiente no dia a dia e em dados efetivos levantados pela corporação.

“Apenas no primeiro semestre de 2019, registramos uma redução de 20,5% nas ocorrências de incêndio em todo o Estado. Isso comprova a importância da conscientização dos cidadãos em relação a cuidados simples com botijões de gás e fogões a lenha na região Serrana, por exemplo”. explica o comandante.

Comandante-geral do CBMSC, coronel Charles Alexandre Vieira, participou da campanha de prevenção com orientações de segurança a quem passava pelo Centro de Florianópolis – CBMSC/Divulgação/ND

A data escolhida para a orientação aos cidadãos catarinenses tem como base o Dia Nacional do Bombeiro, marcada pela criação da atividade de bombeiro no Brasil e determinada por Dom Pedro II, no Rio de Janeiro, em 02 de julho de 1856.

Leia também:

Conscientização

Ao receberem os panfletos com dicas de segurança, alguns cidadãos aproveitaram para parabenizar os profissionais pelo aniversário da corporação. Entre os moradores que passavam pelo Ticen durante a blitz educativa, a dona de casa Rosa de Deus de Melo, 40 anos, fez questão de ouvir as instruções repassadas pelo bombeiro, que serão aplicadas em casa.

Em entrevista ao ND+, a catarinense revelou que já passou por situações de emergência em casa e precisou pedir ajuda. “Tenho um filho que já se queimou duas vezes com água fervente, quando bebê, enquanto era cuidado pelo meu marido. Isso fez com que eu redobrasse os cuidados em casa, inclusive com os adultos”, contou.

A dona de casa Rosa de Deus Melo é moradora de Florianópolis e já passou por situações com acidentes domésticos – Mônica Andrade/ND

Para a secretária Edite Pereira, 60 anos, as dicas são um bom lembrete sobre os cuidados que, por vezes, passam despercebidos. “Em casa, eu mesma troco a mangueira e o registro do botijão de gás. Procuro observar se a borracha não está velha ou rachada, deixo o bujão sempre do lado de fora e fecho o registro à noite ou quando não estou usando o fogão”, afirmou.

A secretária também informou que costuma chamar a atenção dos netos para o uso do celular com o aparelho ligado à tomada, um descuido que também pode causar incêndios. “Quando estão na minha casa, não deixo meus netos usarem o celular enquanto carrega na tomada, pois sei sobre o risco de incêndio e até explosões”, lembrou.

Alerta vermelho

Em todo o Estado, bombeiros militares e comunitários iniciaram na segunda-feira (1º) a operação Alerta Vermelho, com objetivo de orientar moradores de casas e apartamentos sobre a prevenção de acidentes. Até o próximo domingo (7), os profissionais visitarão os cidadãos de porta em porta, orientando sobre cuidados que podem evitar as ocorrências mais comuns, como incêndios.

A obrigatoriedade de vistorias, que exige o cumprimento das normas de segurança, é aplicada a comércios e condomínios particulares, o que não ocorre com casas e construções unifamiliares. De acordo com o cabo Jackson França, do Corpo de Bombeiros Militar, a fiscalização em residências não é exigida, mas o trabalho de prevenção pode auxiliar a conscientização dos moradores aos riscos mais frequentes.

“Entre as ameaças mais comuns, estão a instalação de fiações elétricas antigas ou feitas pelo próprio morador, sem capacitação técnica. A atitude, aparentemente inofensiva, pode causar sobrecarga elétrica, causando curtos circuitos e consequentes incêndios”, explica o bombeiro.

Dicas de prevenção

Alguns cuidados básicos podem evitar graves acidentes. Confira abaixo as dicas mais importantes do cabo Jackson França:

  • Nos botijões, verifique a mangueira e registro de gás com frequência; compre apenas produtos autorizados pelo Inmetro, que têm validade média de cinco anos, mas podem ser trocados antes caso apresentem desgaste;
  • Ao sentir cheiro de gás (proveniente do enxofre), abra todas as portas e janelas da casa e não acenda ou apague a luz, muito menos acenda fósforos. Caso o ambiente esteja contaminado com o gás, o contato com interruptores pode iniciar uma explosão;
  • Caso uma panela com óleo pegue fogo, nunca use água ou panos de prato para encobrir as chamas. O contato do óleo com a água causará uma explosão e tecidos são agentes combustíveis que podem pegar fogo. Desligue o fogão e, caso possua, utilize um extintor classe K;
  • Em casas e apartamentos mais antigos (sem gás encanado), o botijão deve ser mantido em ambiente arejado, fora do imóvel, com boa ventilação de ar. Em condomínios, a sacada ou área de serviço pode servir como opção;
  • Feche o registro de gás antes de dormir e ao sair de casa. A atitude simples se transformará em um hábito importante para a segurança dos moradores;
  • Verifique periodicamente a fiação elétrica instalada e não faça reparos por conta própria;
  • Não utilize mais de uma aparelho elétrico na mesma tomada, como o uso do adaptador conhecido como “T”. A sobrecarga pode ocasionar curtos circuitos, motivo comum dos princípios de incêndio;
  • Para a instalação de chuveiros, o ideal é haver apenas uma fiação elétrica, exclusiva para o aparelho. A instalação também deve ser feita por um profissional especializado;
  • Em caso de curto-circuito ou qualquer acidente elétrico, jamais jogue água nas chamas ou utilize extintor à base do produto (tipo “A”). A água é condutora de energia e pode propagar o incêndio;
  • Alguns itens de segurança não são obrigatórios nas residências, mas podem ser de extrema utilidade em casos de urgência. Extintores de pó químico classes C e D podem ser usados para apagar o fogo causado por curto-circuitos. Luminárias de emergência também são uma opção segura, podendo substituir velas e lamparinas, grandes causadoras de incêndios.
  • Em caso de emergências, ligue 193.

Notícias