Nova penitenciária não é bem vinda em Paulo Lopes

A decisão do governador Raimundo Colombo de construir uma penitenciária na divisa dos municípios de Paulo Lopes e Palhoça não foi bem recebida pelo prefeito Evandro João. Ainda que o Estado tenha uma propriedade em seu município, João tem esperança de que o “presente de grego” fique para o vizinho. Os dez hectares localizados às margens do Rio da Madre necessitariam de toneladas de aterro, já que apresentam condições propícias apenas para cultivo de arroz. E por este motivo o prefeito desacredita na edificação do complexo penitenciário em sua cidade.

“Não é nada interessante para nós uma construção desta espécie em Paulo Lopes”, avalia João. O prefeito acredita que o complexo deveria ser construído em um local bem mais isolado. “Penso que uma ilha seria um lugar mais adequado”, diz, lembrando ainda que o terreno em questão tem sua maior parte nos limites do município de Palhoça. Evandro João teme pela segurança da população de Paulo Lopes e lamenta que a instalação do presídio venha causar prejuízos a região. “Não é nada interessante para nós esta novidade. Ainda que fique em solo palhocense a proximidade nos desfavorece. Mas, temos de acatar a decisão do governador”, observa.

Região