Novembro Azul alerta homens para prevenção de diversas doenças

O combate ao câncer de próstata é a bandeira que agrupa médicos, pacientes e autoridades em torno do Novembro Azul. Hoje em dia, porém, a possibilidade de detecção precoce de tumores, essencial para o sucesso do tratamento, é apenas parte do resultado esperado da campanha.

Campanha do Novembro Azul quer levar homens aos consultórios médicos – Foto: Pixabay

No ano passado 68.220 novos casos foram detectados, segundo uma estimativa do Ministério da Saúde. Esse tipo de câncer é o segundo mais letal entre os homens no Brasil, registrando mais de 14 mil óbitos por ano.

“O combate ao câncer é a razão de ser da iniciativa. Mas atualmente se considera fundamental também despertar no homem a preocupação com a saúde em geral e estimulá-lo a fazer exames e avaliações clínicas que podem identificar também outros problemas”, diz o urologista Henrique Peres Rocha.

Leia também:

Nas consultas e análises o paciente pode ser alertado sobre doenças tão distintas quanto a diabetes, a obesidade, a hipertensão ou problemas urológicos menos graves, mas de grande prevalência, como a hiperplasia benigna da próstata, que é um crescimento não cancerígeno da glândula.

O diagnóstico precoce é fator importante para o sucesso do tratamento ou até a prevenção de complicações de diversas doenças. O caso da hiperplasia da próstata, que acomete até 80% dos homens de terceira idade, é um deles.

Não tratado adequadamente, o inchaço da glândula pode provocar incontinência ou retenção urinária, infecções e, no extremo, insuficiência renal. O tratamento pode ser feito com uso de medicamentos ou com procedimentos cirúrgicos como o Green Light, usado no Hospital Baía Sul, em Florianópolis. “O aumento da expectativa de vida da população reflete na elevação da prevalência de algumas doenças. Isso torna a prevenção cada vez mais importante”, diz Henrique Peres.

Exame de sangue pode ajudar no diagnóstico do câncer de próstata

O alerta principal, acrescenta, é para os homens com mais de 40 anos, que devem ir ao consultório fazer o exame de controle do PSA. Uma análise de sangue simples, que pode indicar se o paciente tem maior ou menor risco para o câncer de próstata.

Na maioria dos pacientes, o exame de toque é indicado a partir dos 50 anos. “A avaliação da saúde da próstata é muito importante. O câncer tem grande prevalência, a avaliação do paciente é simples e barata e hoje há diversos tratamentos com resultados bastante positivos para a doença”, diz o médico.

Estimativa do Inca (Instituto Nacional do Câncer) indica a ocorrência de 2.600 novos casos de câncer de próstata em 2018 em Santa Catarina. Esse é o tipo de câncer mais comum no homem  — excetuando os cânceres de pele —  e o segundo em causa de óbitos — atrás do câncer de pulmão.

Mais conteúdo sobre

Saúde