Novo formato de Segurança Pública no Estado é inédito no país, diz comandante da PM

Os homens de ouro da segurança pública de Santa Catarina - Divulgação
Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina – Divulgação

Os integrantes do Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina foram apresentados oficialmente na manhã desta quinta-feira (3), em Florianópolis. O colegiado é formado pelo comandante-geral da PM, Araújo Gomes; pelo delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich; pelo comandante do Corpo de Bombeiros, João Valério Borges; e pelo diretor-geral do Instituto Geral de Perícias, Giovani Eduardo Adriano. O coronel PM Flávio Graff será diretor-geral do conselho. O novo formato de segurança pública é inédito no país, garante o comandante da PM.

No primeiro ano, o cargo de secretário de Segurança Pública será ocupado por Araújo Gomes, que vai acumular o cargo de comandante-geral da Polícia Militar, seguindo um sistema de rodízio anual que contemplará a Polícia Civil em 2020, o Corpo de Bombeiros no ano seguinte, e o Instituto Geral de Perícias em 2022.

De acordo com o coronel Araújo, o colegiado funcionará a exemplo do conselho de administração de uma grande empresa, composto pelos integrantes das pastas. “O principal objetivo é garantir uma maior integração entre as instituições, fortalecendo a área-fim, que impacta diretamente na vida dos cidadãos”, ressaltou o oficial.

Ele afirmou que o colegiado vai  garantir que as estratégias integradas assegurem a segurança da população, melhorando os índices de criminalidade. “Algo que já vem sendo conquistado nos últimos anos”, disse.

Na reunião desta quinta-feira, o colegiado avalizou o decreto que será expedido nos próximos dias e que determinará a criação oficial do órgão. Também foi debatido um projeto de interligação comunicativa de todas as instituições da segurança pública com a Polícia Rodoviária Federal, por meio de sistema de radiocomunicação digital. “Outro objetivo traçado é a integração total dos bancos de dados até o mês de março”, ressaltou Araújo Gomes.

O oficial disse que foi elaborada uma nova Lei de Organização Básica da Polícia Militar, permitindo uma reestruturação da circunscrição das unidades da corporação em âmbito local, regional e estadual, usando as comarcas estaduais como base. Ele também prometeu que toda semana será divulgado relatório com os índices de criminalidade.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, o principal benefício do novo formato é a maior autonomia proporcionada às instituições policiais. Segundo ele, ao ter mais liberdade para decidir os seus destinos, haverá uma valorização dos servidores públicos, o que impactará diretamente na entrega de serviços ao cidadão. “Nós teremos condições de decidir sobre o emprego dos nossos recursos, sobre o emprego do nosso material humano, visando o atendimento do cidadão e dos nossos visitantes”, concluiu Koerich.

Mais conteúdo sobre

Polícia