Ônibus regional está em análise na Grande Florianópolis

Atualizado

Passageiros precisam ir até a ilha para pegar ônibus para o Continente – Flávio Tin/ND

O governador Carlos Moises (PSL) deve receber nos próximos dias o parecer dos prefeitos da região sobre o transporte integrado. De acordo com a secretária de Segurança, Transporte e Bem Estar Social de São José, Andréa Pacheco, o grupo já tem uma série de questionamentos.

De acordo com Andréa, o modelo apresentado pelo Governo do Estado dispensa a necessidade de alteração na legislação em vigor para possibilitar a licitação. “Estamos discutindo a proposta do convênio. Essa avaliação é conjunta entre os municípios . Já fizemos uma reunião e chamaremos o Estado para explicar algumas dúvidas”, argumentou a secretária.

Segundo ela, a expectativa é que após análise dos prefeitos, que têm um mês para se manifestar, o governo deve encaminhar a licitação. “Se tudo der certo a expectativa do Governo do Estado será de licitar no segundo semestre”, completou.

Após avaliação dos prefeitos, os convênios precisarão ser aprovados pelas Câmaras de Vereadores. Segundo o Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, 80% dos deslocamentos de ônibus de Biguaçu, Governador Celso Ramos e Antônio Carlos ocorrem para fora da região, sendo São José e Florianópolis os principais destinos.

Um dos motivos para a situação é a falta de opções de linhas de ônibus dentro das cidades e a inexistência de conectividade da rede de transporte coletivo entre os municípios. Caso o passageiro queira ir até o Kobrasol, em São José, ele precisa se deslocar a Florianópolis para pegar outro ônibus intermunicipal.

A Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano prevê novas linhas de ônibus circulares em Biguaçu, que conectam bairros como Estiva, Sorocaba/ Timbé, Saudades, Três Riachos, Vendaval, Hospital, Rússia, Mor­ro do Ivo, Morro do Bela Vista, Morro do Boa Vista, Boa Vista, Saveiro, Fundos, Circular Fundos, Praia João Rosa, Jardim Janaína Circular e Bom Viver ao Centro de Biguaçu. Além disso, haverá opções diretas para Barreiros e Kobrasol, em São José, Governador Celso Ramos, Antônio Carlos e Florianópolis.

Projeto está em discussão desde 2016

O projeto de transporte integrado da região Metropolitana da Grande Florianópolis foi desenvolvido em parceria com o Observatório de Mobilidade da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Foram nove meses de estudos até a apresentação do modelo. Contudo, desde 2016 a proposta coleciona avanços e recuos.

A última ocorreu no final do ano passado. Para ser licitada, o modelo necessitava de uma alteração na legislação, inclusive sendo encaminhada para avaliação da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina). Contudo, pouco antes de encerrar o mandato, o então governador, Eduardo Pinho Moreira (MDB), optou por retirar o projeto da pauta. Segundo ele, o transporte integrado era uma projeto muito grande para ser avaliado em final de gestão.

O episódio culminou com a exoneração do então superintendente da Suderf (Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis), Cássio Taniguchi, que encabeçava o projeto.

Mais conteúdo sobre

Geral