Operação Alcatraz: Deputado Júlio Garcia aguarda convocação para depor na PF

O presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Júlio Garcia (PSD), prestará depoimento na Polícia Federal nos próximos dias, como parte das investigações da Operação Alcatraz.

O pedido foi feito no último dia 5, em despacho apresentado pelo delegado Igor Gervini. O parlamentar deve prestar esclarecimentos até o dia 20.

Julio Garcia na tribuna – Rodolfo Espínola/Agência AL/ND

Em entrevista ao ND+ na tarde desta quarta-feira (11), Garcia afirmou que ainda não recebeu nenhuma convocação oficial para prestar depoimento e que ainda aguarda o chamado. Disse também que não é um sócio oculto na empresa de seu genro (como consta na denúncia) e que irá fazer sua defesa no momento adequado para provar sua inocência.

Seu depoimento será de acordo com o que lhe for perguntado, mas afirmou que após isso ficará provado que não tem nenhum envolvimento com propina, corrupção e também nenhum envolvimento em fraudes de licitações.

Deflagrada há três meses, a operação da Polícia Federal tem como objetivo combater fraudes em licitações e desvios de recursos públicos por meio de contratos de prestação de serviço de mão de obra terceirizada firmados com órgãos do governo de Santa Catarina.

Leia também:

Na última movimentação da operação, no dia 10 de setembro, cinco das sete pessoas que continuavam presas tiveram a liberdade provisória concedida pela 7ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4° Região), em Porto Alegre.

Conseguiram a liberdade provisória o ex-presidente da Epagri, Luiz Ademir Hessmann, a empresária Flávia Werlich, o servidor do Estado Luiz Carlos Maroso, o empresário Fabrício Margarido, e o ex-analista de sistemas da Epagri, Danilo Pereira. No entanto, os valores das fianças são altos: variam de R$ 200 mil a R$ 300 mil e precisam ser pagos antes das solturas.

Mais conteúdo sobre

Política