Operação desarticula esquema de corrupção envolvendo bombeiros militares em Navegantes

Atualizado

O Ministério Público deflagrou na manhã desta quinta-feira (15) a operação Sistema Vital com o objetivo de desarticular um esquema de corrupção para aprovação de projetos preventivos contra incêndio em Navegantes. O Gaeco participou da ação no Norte do Estado.

Ao constatar envolvimento de civis, a 5ª Promotoria de Justiça solicitou e teve deferido pelo Juízo Militar do compartilhamento das provas com a 4ª Promotoria de Justiça de Navegantes, seguindo-se as investigações no intuito de desarticular o grupo criminoso.

Os policiais cumpriram seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão. A investigação apontou o envolvimento de dois bombeiros militares, empresários e arquitetos na facilitação de tramitação de projetos preventivos. A operação contou com a participação da corregedoria-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, que vem dando suporte para as investigações.

O nome da operação foi escolhido em referência à importância dos sistemas vitais de proteção contra incêndios nas edificações que eram objeto de negociação por parte de agentes públicos com terceiros envolvidos.

O Corpo de Bombeiros Militar divulgou uma nota de esclarecimento enfatizando que “repudia toda e qualquer conduta que vá contra a paz pública e a administração”.

O comando-geral da corporação informou que está ciente sobre a operação e que também instaurou um inquérito policial militar em desfavor dos bombeiros militares envolvidos no esquema apontado pelo Ministério Público. O IPM também deve apurar possíveis irregularidades e contribuir com informações necessárias para as investigações.

“As autoridades militares competentes já acompanham o caso e trabalham de acordo com o artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal, que indica o princípio da Presunção de Inocência. Porém, se a investigação comprovar as irregularidades, os militares envolvidos serão punidos ao rigor da legislação prevista, que prevê, inclusive, a exclusão da corporação”, informou a corporação.

Polícia