Operação policial mira esquema de fraude em licitações ligado a grupo de empresários em SC

Atualizado

Um grupo de empresários é suspeito de integrar um pool de empresas envolvidas em um esquema de fraude em processos licitatórios. A prática, que estaria ligada à fabricação de artefatos de cimento para uso na construção civil, resultou no cumprimento de 28 mandados judiciais em nove municípios catarinenses nesta terça-feira (10).

Polícia Civil cumpre 28 mandados judiciais como parte da Operação Argamassa – Polícia Civil/Divulgação/ND

De acordo com a Polícia Civil, que realiza as ações como parte da Operação Argamassa, as empresas são constituídas basicamente por familiares. A fraude, conforme a investigação, envolve procedimentos licitatórios realizados por mais de dez anos.

Os policiais cumprem seis mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão nas cidades de Alfredo Wagner, Balneário Camboriú, Biguaçu, Bombinhas, Camboriú, Itajaí, Itapema, Porto Belo e Tijucas.

Leia também

A Operação é decorrente das informações repassadas pelo Ministério Público de Contas, que apurou fraudes em cerca de 23 procedimentos licitatórios entre os anos de 2007 a 2018 nas cidades de Balneário Camboriú, Camboriú, Tijucas, Porto Belo, Bombinhas e Biguaçu.

Pelo menos sete empresas são alvo das investigações, realizadas pela Decor/Deic, neste primeiro momento. A polícia também busca identificar se houve envolvimento de funcionários públicos no esquema, bem como o eventual superfaturamento no fornecimento das mercadorias licitadas.

Operação é decorrente das informações repassadas pelo Ministério Público de Contas – Polícia Civil/Divulgação/ND

Polícia