Operários aguardam definição sobre empreiteira do Contorno Viário

A decisão de rescindir o contrato entre Arteris Litoral Sul e Salini Impregilo causa apreensão nos 450 operários da obra. Até quinta-feira (10) à noite, eles não haviam sido informados sobre o futuro. De acodo com a empresa, os advogados ainda estudam o documento de cancelamento do contrato.

Funcionários estão preocupados com futuro - Divulgação/ND
Funcionários estão preocupados com futuro – Divulgação/ND

Conforme Willmar Muller, gestor do contrato, nenhuma posição será anunciada até que ocorra a análise jurídica. “Fomos notificados na noite de quarta-feira. Só vamos nos pronunciar após avaliar a rescisão”, explicou.

Arnaldo Camargo de Freitas, do Sintrapav-SC (Sindicato dos Trabalhadores da Industria da Construção Pesada de Santa Catarina), destaca que os operários estão aguardando os movimentos entre as partes. Segundo ele, não há nenhuma ação a ser tomada. “Não afeta em nada neste momento. Temos que aguardar a decisão. Se houver acerto, as coisas continuam normalmente. Até o momento a Salini está cumprindo com todas as obrigações”, argumentou Freitas. Ao todo, 450 funcionários atuam nos 30 quilômetros da obra do Contorno Viário da Grande Florianópolis.

O sindicalista diz que existe a preocupação com eventuais demissões. Contudo, ele acredita que caso a troca de empreiteira seja confirmada, a nova empresa deverá aproveitar pelo menos parte da mão de obra. A Arteris anunciou a rescisão de contrato após a terceira paralisação das obras em 78 dias, sendo duas delas por ordem da Salini. Mesmo com a substituição, o prazo de conclusão está mantido para o final de 2021, segundo a concessionária.

Região

Nenhum conteúdo encontrado