Paisagens geladas que encantam na serra catarinense

Urubici é um cartão postal de Santa Catarina em qualquer estação do ano – Marcus Zilli/Divulgação/ND

Não é preciso embarcar em longas viagens para o exterior para carimbar no passaporte a experiência de ver e sentir os flocos de neve no inverno. O clima de baixas temperaturas no Sul do Brasil é só um dos principais atrativos para quem quer conhecer a serra catarinense. Em Santa Catarina, a serra é a região mais fria e o único lugar que atrai turistas de diferentes regiões do país para ver a principal atração da estação: a neve.

As baixas temperaturas convidam o visitante a apreciar bons vinhos, experimentar comidas típicas da estação e, de quebra, ver paisagens de se congelar… na memória. Para conhecer de perto as belezas desta época, separamos seis lugares que precisam estar na sua rota de viagem por essa região.

Urubici

Passar por Urubici é como visitar um cartão postal de Santa Catarina em qualquer estação do ano. Localizada a quase mil metros acima do nível do mar, a pequena cidade com pouco mais de 11 mil habitantes, de acordo com o último censo demográfico feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é uma das principais paradas para quem quer sentir as  temperaturas negativas.

Mas a cidade vai muito de um cenário encantador dos meses mais frios do ano. Urubici atrai visitantes com a riqueza das paisagens naturais da região, onde é possível observar a imensidão dos cânions, dos vales e  as belas cachoeiras que se misturam às riquezas do turismo ecológico, além de atrações que envolvem velocidade e adrenalina. A cidade é um dos destinos mais visitados pelos turistas no Estado.

Cânion Espraiado: localizado a 35 quilômetros do Centro da cidade, para visitar o Cânion Espraiado é necessário pedir autorização e pagar pela entrada, já que fica dentro de uma propriedade particular. O valor cobrado por pessoa é de R$ 20 e pode ser adquirido na casa dos proprietários. O cenário é de arrebatar o coração e de se perder na imensidão dos cânions que contrastam entre o verde da vegetação e o azul do céu.

Pedra Furada: divisa entre os municípios de Urubici, Bom Jardim da Serra e Orleans, a famosa Pedra Furada é conhecida como uma janela aberta em meio a natureza, com aproximadamente 30 metros de circunferência. Localizada na região do Morro da Igreja, a região tem 1822 metros de altitude e é o ponto mais alto habitado no sul do Brasil. Além disso, ainda é possível ver o mar, mesmo a 100 quilômetros de distância. Para visitar este ponto turístico, é preciso de autorização no ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) e não tem cobrança.

Cascata Véu de Noiva: um lugar típico para se conhecer no verão também vira rota dos turistas no inverno, já que com as baixas temperaturas as águas da Véu de Noiva congelam. A cascata está entre as 80 que pertencem ao município e o melhor: fica no caminho para o Morro da Igreja.

Morro do Campestre: para os amantes do pôr do sol, o Morro do Campestre é um dos destinos certo para apreciar esse momento. Também conhecido como Morro da Cruz, fica localizado dentro de uma propriedade particular e é necessário pagar um valor simbólico para ter acesso ao local.

Aventuras: quem busca um lugar para praticar trilha ecológica, rafting, rapel e montanhismo, Urubici é a cidade que reúne todas essas aventuras em um único lugar. Além disso, a cidade é berço de esportes como mountain bike, downhill e balonismo e desponta como a meca do motociclismo catarinense.

São Joaquim

Vinícola Villa Francioni tem visitação aos vinhedos, que produzem vinhos de rótulo nacional e internacional – Markito/Santur/Divulgação/ND

Quando se fala em serra catarinense, São Joaquim é uma das primeiras cidades que vêm à memória. A caída da neve e a rota do vinho da cidade são a combinação perfeita da estação.

Vinícola Villa Francioni: com visitação aos vinhedos da própria vinícola, que produz vinhos com rótulos nacionais e internacionais. Com visita acompanhada por guia especializado, o turista conhece todas as etapas da produção do vinho e, ao final, tem a oportunidade de fazer degustação. O espaço conta horário de funcionamento e por isso é importante entrar em contato antecipadamente.

Mirante das Araucárias: nem só de neve e bons vinhos vive São Joaquim, mas fazer um piquenique em um campo de araucárias também pode completar o combo do inverno na serra. O local conta com araucárias de até 50 metros de altura.

Lages

Cavalgada é um dos passeios típicos de Lages, na região serrana – Markito/Santur/Divulgação/ND

Na rota de cidades mais visitadas em Santa Catarina, Lages costuma receber, média, 900 mil turistas por ano. O maior município de extensão no Estadotambém se destaca pela importante economia que está entre as dez principais do Estado.

Morro da Cruz: conhecido pelas famosas peregrinações, quem chega ao topo do Morro da Cruz tem o privilégio de ver Lages com uma vista panorâmica. Para quem deseja subir a pé, é possível. Mas é preciso saber que a caminhada não é fácil: ao todo, são 500 degraus. Agora, se você quiser subir de carro tem acesso. No topo, o local tem uma cruz e uma gruta e também costuma ser usado para as práticas de voo livre e parapente.

Salto do Rio Caveiras: a primeira usina hidrelétrica da região, hoje tem seu lago usado para as práticas de esportes náuticos, mas ainda vale passar para conhecer a cachoeira com 220 metros de largura.

Pousada: cercada de muito verde, a Pousada Rural do Sesc oferece todo o charme e conforto que o visitante procura na Serra Catarinense. Localizada a 15 km do centro, possui um belo centro de eventos, chalés e apartamentos. O restaurante é aberto ao público e a programação de lazer tem parede de escalada, circuito de arvorismo, cavalgada, brinquedoteca, oficinas, entre outros. 

Bom Jardim da Serra

A capital das águas, como é conhecida Bom Jardim da Serra, reúne 35 cachoeiras e, pelo menos, 14 rios que nascem no município. Só isso já seria o atrativo para atrair turistas, mas a região conta com formações de cânions de tirar o fôlego.

Cânion da Ronda: próximo a Serra do Rio do Rastro, o Cânion da Ronda é de fácil acesso e só precisa de 350 metros de caminhada para chegar a sua borda. Além dele, existem mais dois na cidade: das Laranjeiras e do Funil.

Cascata da Barrinha: mais um ponto turístico que fica próximo da Serra do Rio do Rastro, a Cascata da Barrinha é formada por afluentes do Rio Pelotas e as águas são cristalinas.

Urupema

Morro das Torres: o ponto mais alto do Estado com 1425 metros fica em Urubici.No inverno, é certeiro que quem passar por essa região em meio a mata Atlântica vai encontrar com a famosa e tão procurada neve.  

Cascata que Congela: nos dias mais frios do ano, quem visita Urupema sabe da famosa da história da Cascata que Congela é o rumo certo para ver de perto a força do inverno na região.

Turismo