Papa aceita renúncia de arcebispo australiano que acobertou abusos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O papa Francisco aceitou a renúncia do arcebispo australiano Philip Wilson, que foi declarado culpado de acobertar abusos sexuais contra uma um menor de idade nos anos 1970, anunciou nesta segunda-feira (30) o Vaticano.

O arcebispo de Adelaide, 67, foi acusado de acobertar os abusos de um padre acusado de pedofilia: Jim Fletcher.

Um tribunal o declarou culpado em maio e no mês seguinte o condenou a 12 meses de prisão, sem possibilidade de ser libertado antes de seis meses. O religioso, que sempre negou as acusações, anunciou em maio o afastamento de suas funções para examinar o veredito.

Francisco adotou a linha de tolerância zero contra a pedofilia na Igreja após uma série de escândalos que abalaram seu papado.

No sábado (28), anunciou a suspensão do célebre cardeal americano Theodore McCarrick, 87 , do Colégio Cardinalício e o proibiu de exercer seu ministério após uma investigação que considerou “críveis” as acusações de abuso sexual contra o religioso.

Em maio, 34 bispos chilenos pediram renúncia coletiva devido ao escândalo de pedofilia que atingiu a Igreja no país. Em seguida, 14 padres foram suspensos por supostos crimes sexuais, um ato sem precedentes nos cinco anos de papado de Francisco.

Mais conteúdo sobre

Jornalismo

Nenhum conteúdo encontrado