Para os profissionais da engenharia química o futuro se constrói agora

Atualizado

O homem aplica os princípios da engenharia química há milhares de anos. Muitas atividades humanas antigas tais como fabricação de cerveja, pão e sabão, sem contar experiências dos alquimistas, envolvem aplicações de engenharia química. Como profissão moderna, no entanto, só se consolidou a partir da Segunda Guerra Mundial, com a sistematização dos conhecimentos das operações comuns dos diversos processos (as operações unitárias) e o desenvolvimento adequado e unificado da mecânica dos fluidos, da transferência de calor e de massa aplicados à engenharia (os fenômenos de transferência ou fenômenos de transporte).

No final do século 19 o termo “engenheiro químico” já vinha sendo utilizado nos meios técnicos, no entanto, educação formal sobre o assunto ainda não existia. Em 1880 um esforço foi feito por George Davis (pesquisador inglês) a fim de unir estes ecléticos profissionais em uma espécie de sociedade (Society of Chemical Engineers) “Sociedade de Engenheiros Químicos”. Mas foi somente em 1888 que esta situação começou a ser modificada, quando o professor Lewis Norton, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) (EUA) introduziu um Curso formalizando o título de Engenheiro Químico. Coube a William Page Bryant a honra de se ter tornado, em 1891, o primeiro graduado em Engenharia Química.

Outras escolas, como a da Universidade da Pensilvânia em 1892 e Universidade de Tulane em 1894, rapidamente iniciaram seus programas em Engenharia Química em cursos de 4 anos.

No Brasil, os primeiros cursos de engenharia química surgiram em 1922 (Escola de Engenharia do Mackenzie) e 1925 (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo). Atualmente, há no país entre as universidades públicas e privadas, cerca de 170 instituições de ensino credenciadas que oferecem o curso de engenharia química. Em Santa Catarina há 21 instituições oferecendo cursos na área. A data comemorativa da profissão é 20 de setembro.

CREA SC – Freepik.com

Áreas de atuação e atribuições

Inicialmente muito ligada à indústria química e petroquímica, a Engenharia Química estendeu seu leque de atuação para várias outras áreas, sendo hoje considerada uma Engenharia de Processos, ou seja, sua atuação se encontra em toda atividade humana de transformação de matérias-primas em produtos, que envolve conhecimentos de engenharia (cálculos matemáticos, emprego da Física, conhecimento baseado na experiência, análise econômica etc) e Química. Mais recentemente ainda, a Biologia passou a ter grande importância para a Engenharia Química, principalmente nos Bioprocessos (exemplos: fabricação de biocombustíveis por fermentação e indústria de alimentos).

Por atuar geralmente numa corporação industrial, o Engenheiro Químico necessita ainda possuir formação na área de Humanas (exemplos: comunicação e expressão, empreendedorismo e gerenciamento de pessoas e projetos) e noções de Direito.

Entre as tendências estão o desenvolvimento de novos materiais, principalmente usando nanotecnologia; utilização da biotecnologia na obtenção de produtos pelo uso de microrganismos ou enzimas; desenvolvimento de tecnologias limpas e baseadas em matérias-primas renováveis; controle de poluição e gestão ambiental; controle automático de processos em batelada, controle de alto desempenho e de plantas; desenvolvimento de matrizes energéticas sustentáveis e um melhor entendimento da ação das drogas (remédios) no corpo humano, através da investigação da bioquímica corporal usando métodos físico-químicos e modelagem matemática.

De acordo com as Resoluções 218/73 e 1073/16 do CONFEA, ratificadas pela Lei 5.194/66 e Decreto 85.877 /81 são atribuições do engenheiro químico, entre outras:

Gestão, supervisão, coordenação, orientação técnica; coleta de dados, estudo, planejamento, anteprojeto, projeto, detalhamento, dimensionamento e especificação; estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental.

Assistência, assessoria, consultoria; direção de obra ou serviço técnico; vistoria, perícia, inspeção, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria, arbitragem.

Desempenho de cargo ou função técnica; treinamento, ensino, pesquisa, desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica, extensão; elaboração de orçamento; padronização, mensuração, controle de qualidade.

Execução de obra ou serviço técnico; fiscalização de obra ou serviço técnico; produção técnica e especializada; condução de serviço técnico.

Condução de equipe de produção, fabricação, instalação, montagem, operação, reforma, restauração, reparo ou manutenção; execução de produção, fabricação, instalação, montagem, operação, reforma, restauração, reparo ou manutenção; operação, manutenção de equipamento ou instalação. Execução de desenho técnico.

Análise química e físico-química, química biológica, bromatológica, toxicológica e legal, padronização e controle de qualidade; produção e tratamentos prévios e complementares de produtos e resíduos; condução e controle de operações e processos industriais, de trabalhos técnicos, reparos e manutenção no âmbito das respectivas atribuições; pesquisa e desenvolvimento de operações e processos industriais.

Estudo, elaboração e execução de projetos de processamento; estudo, planejamento, projeto e especificações de equipamentos e instalações industriais.

No que se refere à indústria química e petroquímica e de alimentos; produtos químicos; tratamento de água e instalações de tratamento de água e de rejeitos.

O futuro se constrói agora – Em homenagem aos profissionais da engenharia e geociências, o CREA-SC lançará nesta sexta-feira dia 20.09 a campanha: O futuro se constrói agora. O objetivo é enfatizar a importância da atuação dos profissionais da área tecnológica para a retomada do crescimento e posicioná-los como agentes do desenvolvimento econômico, qualidade de vida e segurança da sociedade, tanto no meio urbano quanto rural.

Só em Santa Catarina são mais de 71 mil profissionais registrados no CREA-SC e 15 mil empresas, sendo destes, cerca de 1600 profissionais da área da engenharia química e relacionadas.

“Ressaltar a importância, representatividade e força dos nossos profissionais e profissões são compromissos importantes da nossa gestão, refletidos nesta campanha”, assinala o presidente do CREA-SC, Eng. Agr. Ari Geraldo Neumann.

“Muito se espera do nosso futuro. Que ele seja próspero e traga um novo período de oportunidades. Mas o que determina o futuro são as nossas ações de hoje. Para o CREA-SC, o tão sonhado projeto de um novo país já começou. A sociedade pode contar com a autoridade técnica dos profissionais da engenharia, agronomia e geociências para viver uma nova era de desenvolvimento. Porque se a economia é uma roda, não há ninguém mais capacitado para fazer a engrenagem girar”.

Confira o VT da campanha aqui: bit.ly/2lWkL4j

Mais conteúdo sobre

Crea SC