Pele: nos consultórios, tendência é apostar em procedimentos que preservam a naturalidade

Pinceladas de arte e beleza estão em todos os espaços onde trabalha a médica Rafaela de Assis Salvato Balsini, na torre médica do Trompowsky Corporate, no coração de Florianópolis. A dermatologista mantém no ambiente – desde as salas de procedimentos até a que ela usa para dar as boas-vindas aos pacientes – telas de artistas catarinenses, como o joinvilense Juarez Machado, que vive em Paris. Nas paredes há também Caio Borges e o colorido de Vera Sabino, entre outros artistas. Para Rafaela, os quadros transmitem encantamento e bem-estar, uma inspiração. Nas pinturas há cores, formas, figuras femininas, principalmente, e masculinas, o lado humano. Assim, ela recebe os pacientes que a procuram para tratar casos clínicos e de estética – manchas e flacidez na pele, trazidos pelo tempo e pela exposição ao sol, estrias, vasinhos.

Atenta às novidades, a dermatologista Rafaela Salvato viaja este mês a Nova York para congresso no segmento. Ela defende que o bom resultado estético vem de uma combinação de procedimentos – Anderson Coelho/ND

Para a médica, nesse universo da busca pela beleza, no qual a tecnologia do laser e os preenchimentos vêm possibilitando transformações – e alguns exageros – o grande segredo é a naturalidade. Ela diz que atualmente, por exemplo, isso é possível mediante combinações do uso de laser – o mais recente é o Fotona 4D, recém-chegado a Santa Catarina – ácidos como o hialurônico, a toxina botulínica e os bioestimuladores (substâncias injetáveis usadas para a produção de colágeno). E esses recursos usados, claro, pelas mãos de especialistas, que sabem dosar para mais ou menos as aplicações, dependendo de cada caso.

Rafaela defende que um bom resultado na área estética vem de procedimentos realizados aos poucos, isto é, quase sem que seja possível identificar ou definir a mudança. “E em cada rosto a gente precisa chamar a atenção para aquilo que é bonito, o ponto forte”, explica. “Mas existe a busca pela imitação, das celebridades”, conta. Em um mundo de padronizações – inclusive quando o assunto é beleza –, o propósito do trabalho da dermatologista é individualizar. E, de forma geral, nos últimos tempos também os homens procuram procedimentos dermatológicos, vencendo receios e preconceitos.

Ficar belo, para ela, é algo que vai além do espelho. Acima de tudo, é sentir-se bem, melhorar, mas sem abrir mão da personalidade, da essência. A mudança é apenas para ressaltar aspectos, gerar mais autoconfiança. “A saúde da pele está incluída no bem-estar e, por meio dela, a mulher ou o homem vai mais confiante enfrentar suas batalhas”, reforça.

De mala na mão

Ela nem imagina quantos quilômetros percorre por ano, indo e voltando de congressos e encontros nos quais são apresentadas inovações em dermatologia. Rafaela Salvato cita que participa de pelo menos quatro grandes eventos na área a cada ano, em outros países, sem contar os realizados no Brasil. “Tem que ser assim”, afirma a médica. Ela conta que a ideia é oferecer um pouco do que há de melhor no mundo para tratamentos da pele, sem que as pessoas precisem buscá-los fora.

Neste mês, a médica tem na agenda Nova York, onde estará em um congresso voltado a convidados – 110 médicos. Eles participarão de um intensivo no centro de pesquisas de uma grande marca mundial que, entre outros negócios, produz substâncias injetáveis para tratar a pele. A imersão será nesta área e com uso de robôs em forma de rostos e de mãos humanos.

A médica diz que os injetáveis estão cada vez mais variados e para diferentes indicações. Ela lembra que muito se evoluiu desde a chegada da toxina botulínica ao Brasil, há uns 25 anos. Entre as novidades mais recentes está o laser que promove lifting facial sem downtime, ou seja, o paciente faz o procedimento e já retoma a rotina, sem vermelhidão ou dor.

Carreira e família ao mesmo tempo

Muitos podem nem imaginar, mas Rafaela, que tem seis anos de profissão como especialista, sequer sonhava com a medicina. Ela tinha um olhar mais empreendedor. Aos 16 anos, porém, a família foi viver nos Estados Unidos e lá ela descobriu o que queria fazer. Rafaela passou por uma crise de apendicite e permaneceu uma semana hospitalizada. Conheceu a rotina de médicos e de equipes de saúde. A possibilidade de cuidar de outras pessoas, então, a fez ingressar no curso de medicina da UFSC. “Eu gostava da área cirúrgica”, lembra. Depois, o contato com pacientes com queimaduras e um estágio em Nova York a levaram a se especializar em dermatologia, em São Paulo. Aprimorou-se em laser e procedimentos estéticos em Harvard, e fez treinamento em diagnóstico e tratamento das doenças do cabelo e do couro cabeludo em Bolonha, na Itália.

A carreira, como a de muitas mulheres, foi sendo construída ao mesmo tempo em que a família, com o marido, Achilles Balsini, sócio de Rafaela e empresário, ao lado dela. Divide com ele a rotina de criar o casal de filhos: Barbara, de quatro anos, que, inspirada na mãe, já diz querer se tornar médica, e Daniel, de dois anos e meio. Cheia de orgulho da mãe dela, professora, e de seu pai, analista de sistemas, Rafaela quer o mesmo dos filhos, que eles também tenham orgulho de seu lado profissional e lutem por seus ideais.

Para a médica Rafaela Salvato, a estética deve reforçar os pontos fortes – Anderson Coelho/ND

Cuidados que sempre ajudam

Quem é a médica Rafaela e como nasceu essa preocupação com a saúde da pele e a estética?

Comecei a cuidar de mim mesma e como eu buscava mais naturalidade e bom senso, percebi em locais que frequentava e em cursos realizados que isso era uma busca das pessoas. Comecei a querer cuidar de mim e das pessoas da mesma forma.

O que você faz pela sua pele e que cuidados adota em sua própria rotina?

Atuo preventivamente e cuidando dos sinais do tempo, porque todos nós vamos envelhecendo. Então, adoto uma rotina diária de cuidados principalmente com o uso do filtro solar, que é o grande aliado da pele. Hidrato muito a pele e tenho hábitos saudáveis. Uso toxina botulínica, preenchimento com ácido hialurônico e bioestimuladores, e a tecnologia a laser, este principalmente para tratar vasinhos e manchas.

Vivemos em uma cidade de praias, onde as pessoas ficam mais expostas ao sol. Como elas devem cuidar da pele e ao mesmo tempo aproveitar os momentos ao ar livre?

A gente deve, sim, viver ao ar livre, é saudável, libera hormônios do bem-estar, a gente precisa. O principal aliado é o filtro solar. Não é o bronzeado que é bonito, é a saúde da pele. Então, filtro, filtro, filtro. E quem gosta de ter o tom do bronzeado, use o autobronzeador.

E quando se fala em hidratação?

É beber muita água e usar produtos hidratantes. Ela deve ser de dentro para fora, tomando muita água e ajudando para que essa água não seja perdida. Então, após o banho, hidratar. Uma coisa muito em voga são os óleos, que vêm com muita força na cosmética. O óleo corporal, os óleos faciais, para quem gosta de uma pele com um pouco mais de luminosidade, ajudam a manter a hidratação. Agora, estamos indo para o inverno, e manter a pele um pouco mais oleosa não causa tanto desconforto. E o óleo corporal se pode passar com rapidez depois do banho, fica prático no dia a dia. É claro que com cuidado e precaução para quem tem tendência a apresentar acne.

SERVIÇO

Mais conteúdo sobre

Inspira!