Petrel-gigante: Ave oceânica e rara é encontrada em Florianópolis

Atualizado

Um petrel-gigante-do-Norte (Macronectes halli) foi reabilitado e solto pela R3 Animal na semana passada, próximo à Ilha Xavier, em Florianópolis. Este é o primeiro registro da ave oceânica desta espécie pela equipe. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (31).

O Petrel-gigante-do-Norte dias antes da soltura – Foto: Nilson Coelho/R3Animal

Um morador de Jurerê Internacional, no Norte da Ilha, foi quem encontrou a ave debilitada na areia da praia, no dia 3 de outubro, e entrou em contato com a R3 Animal.

De acordo com a médica veterinária Marzia Antonelli, o petrel estava desidratado, hipertérmico, com alterações respiratórias e atrofia muscular em articulações dos membros pélvicos. Também foi constatado a presença de ectoparasitas.

A médica veterinária Janaina Rocha Lorenço fazendo exame de raio-x no petrel-gigante – Foto: Nilson Coelho/R3Animal

A ave foi medicada e passou por vários tipos de exames antes de ser liberada para soltura. Foram feitos exames de sangue, fezes e de raio-x. Antes de ser solta, a ave recebeu uma anilha (anel de identificação) fornecida pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), órgão de conservação de aves silvestres ligado ao ICMBio.

Detalhe da anilha – Nilson Coelho/R3Animal

Ave da região Circumpolar Antártica

O petrel-gigante-do-Norte é uma ave Procellariiforme encontrada no hemisfério sul e em toda região Circumpolar Antártica. Essa é uma espécie predadora e com alimentação oportunista, preferindo se alimentar principalmente da carcaça de outros animais marinhos, como pinguins, baleias e aves marinhas.

Muitas vezes, o petrel rouba o alimento de outras aves. A espécie se alimenta também de lulas e peixes e é visto acompanhando barcos de pesca atrás de peixes que são descartados. Os machos são significantemente maiores que as fêmeas.

O petrel-gigante-do-Norte foi solto próximo à Ilha Xavier, em Florianópolis – Foto: Nilson Coelho/R3 Animal/ND

“Pelas características na plumagem e tamanho do bico, identificamos este indivíduo que passou por reabilitação como sendo um macho adulto”, explicou o oceanólogo Emanuel Ferreira.

Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia ligue para 0800 642 3341.

Meio Ambiente