PF prende suspeitos de articular tráfico internacional de drogas em portos de SC

Atualizado

Duas pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (2), em Joinville, acusadas de fazer parte do grupo de traficantes que atuava na exportação de drogas para a Europa e outros países por meio dos portos de Itajaí e Navegantes, no Litoral Norte de Santa Catarina. Segundo a Polícia Federal, dois homens presos em Joinville seriam os articuladores do grupo. No fim da manhã, um dos suspeitos foi solto. A defesa dele não quis se manifestar.

Articuladores foram presos pela Polícia Federal em Joinville – PF/Divulgação/ND

Segundo a delegada da Polícia Federal de Itajaí e coordenadora da Operação Joias do Oceano, Anelise Koerich, os dois homens eram donos de empresas em Itajaí e São Francisco do Sul. As empresas seriam usadas para lavar o dinheiro derivado do tráfico de drogas.

Leia também:

Durante as buscas os agentes encontraram duas armas de fogo com os suspeitos – nenhuma das duas possuía registro. Junto com uma das armas também foi encontrado um silenciador.

De acordo com a Polícia Federal, os dois presos devem responder por posse ilegal de arma de fogo. Um deles que estava sob posse de uma arma com licenciador – cujo crime é inafiançável – ficou detido. O segundo preso foi liberado.

Armas foram encontradas na casa dos suspeitos – PF/Divulgação/ND

As investigações da Operação Joias do Oceano tiveram início em 2017, com a apreensão de oito toneladas de cocaína. Ainda de acordo a delegada Anelise Koerich, esta segunda etapa teve como foco a lavagem de dinheiro. “Nós identificamos os líderes da organização criminosa e fomos atrás do patrimônio deles, que era ocultado por meio de pessoas físicas, jurídicas e parentes dos envolvidos”, explicou.

O valor dos imóveis de luxo, veículos e máquinas sequestradas ultrapassa os R$ 70 milhões.

Silenciador também foi localizado nas buscas – PF/Divulgação/ND

Polícia