Plantas fitness: Farmacêutica dá dicas de chás que podem auxiliar no emagrecimento

“Toma aqui esse chazinho que logo você ficará bem” – essa frase resume a certeza da infalibilidade das ervas, que remonta de milênios. Por longos períodos as plantas foram os únicos medicamentos disponíveis e em outros tempos quem usava ervas para tratamento era considerado bruxo. Na atualidade, os verdinhos voltaram a fazer parte dos hábitos de quem quer resolver algum desconforto, inclusive o excesso de peso.

Chás podem auxiliar no emagrecimento – Foto: Divulgação/Pixabay/ND

Mais generosa do que uma avó, a natureza oferece uma diversidade de folhas, cascas, frutos, raízes e cipós que podem fazer um grande bem, se forem utilizados com cuidado. Plantinhas comuns, aquelas que – coitadas! – são até chamadas de pragas podem ajudar a eliminar a gordura corporal que insiste em não ir embora.

Não é preciso ser um expert em botânica para descobrir os matinhos legais que estão por aí pela beira do caminho. Um deles é o dente-de-leão, aquela plantinha vista por todos os cantos – seja no meio do mato ou no gramado bem cuidado. A centela, parceira dele, também é quase um “tiro e queda” para quem quer emagrecer.

No entanto, é preciso que fique claro: o chá sozinho não dará resultado algum. “Sem atividade física e alimentação equilibrada não há planta que resolva”, afirma a farmacêutica Ana Carla Bertani.

Ana diz que as plantas são acusadas injustamente de não entregarem o resultado esperado. “As pessoas utilizam a erva de forma errada, não observam as orientações e culpam as plantas pelo mal desempenho”, aponta.

Um alerta feito pela farmacêutica é que, de preferência, se evite misturar mais de três plantas em um chá porque pode ocorrer algum tipo de reação. Ana Carla orienta que para cada planta o período de consumo não seja superior a três meses. “Você pode usar a cavalinha por três meses e trocar pela centela, usar por três meses e depois voltar ao chá de cavalinha. É importante intercalar”, explica.

Fitoterapia e Pancs

A obesidade é a causadora incansável de uma série de outras doenças que provocam uma sobrecarga no sistema de saúde. A prevenção possível e acessível é o uso de plantas na alimentação, as Pancs (plantas alimentícias não-convencionais) e como tratamento, as fitoterápicas.

No Jardim Botânico de São José são realizados periodicamente cursos voltados ao incentivo do uso de plantas. O objetivo é difundir a fitoterapia, mostrar à comunidade o quanto é acessível, simples e recompensador ter as plantinhas como parceiras.

Ana Carla Bertani é farmacêutica da rede municipal de saúde e uma divulgadora da fitoterapia. Para ela quanto mais pessoas souberem que é possível ter a cura no quintal de casa, menos doentes chegarão ao sistema de saúde.

E não é difícil cultivar as fitoterápicas ou as Pancs, segundo afirma o botânico Sérgio Stähelin, diretor do Jardim Botânico.

Gengibre é “um santo” termogênico – Foto: Divulgação/Pixabay/ND

As plantinhas

Gengibre – Acelera o metabolismo e estimula a queima de gordura corporal. Ajuda no emagrecimento e na prevenção de ganho de peso. Contraindicado para hipertensos. Tomar 1 xícara de chá de 2 a 4 vezes ao dia.

Canela – Favorece a perda de peso e a queima da gordura abdominal. Ela tem qualidades semelhantes ao gengibre, com a diferença que ajuda a diminuir o apetite, a controlar os níveis de açúcar no sangue e pode ser utilizada por hipertensos. Tomar 1 xícara de chá de 2 a 4 vezes ao dia.

Dente-de-leão – Essa planta é uma Panc e pode ser usada na salada, é mais nutritiva que alface. É uma das ervas mais seguras como diurético. Rica em vitaminas A, B e C, ferro, potássio, tem propriedades depurativas que auxiliam no processo de emagrecimento. Tomar uma xícara de chá 3 vezes ao dia. Contraindicada a quem tem gastrite e cálculos biliares.

Centela (centella asiática) – Essa além de ajudar a emagrecer trata a pele. Ela ajuda na normalização da produção do colágeno, na liberação da gordura corporal, previne rugas até celulites, pois é vasodilatadora. Tomar uma xícara de chá 3 vezes ao dia.

Cavalinha – É um diurético natural suave que não modifica o equilíbrio hidroeletrolítico (níveis de sódio, potássio, cálcio entre outros). Favorece a perda de peso e é bom para a hipertensão arterial. Tomar uma xícara de chá 3 vezes ao dia.

Dente de leão é uma plantinha que pode ir na salada ou na xícara de chá – Foto: Divulgação/Pixabay/ND

Não basta preparar o chá – tem que fazer da forma correta

Chás de folhas, flores, inflorescências e frutos: faça infusão, essas partes da planta não devem ser fervidas. A infusão consiste em colocar água sobre a planta, tampar e deixar abafado entre 5 e 10 minutos.

Chás de cascas, raízes, rizomas, caules, sementes e folhas grossas: faça o cozimento. Para cada tipo de planta é necessário um tempo de decocção.

Cuidados com o que oferecem por aí

A ideia de que tudo que é natural não faz mal pode induzir ao erro. Adquirir produtos que trazem no rótulo que são compostos de plantas medicinais é um caminho perigoso para quem quer emagrecer usando fórmulas aparentemente naturais.

Em outubro, o Ministério Público de Santa Catarina proibiu a publicidade e a venda de produtos que prometiam o emagrecimento a base de ervas. Na verdade, na fórmula analisada por peritos foram encontradas substâncias que de natural não tinham nada.

Natureza segura é a que está plantada.

Leia também:

Procon suspende a venda de produtos emagrecedores

Saúde