Polícia aguarda imagens para investigar denúncia de homofobia em Florianópolis

Atualizado

A denúncia de agressão por homofobia feita por um frequentador de uma casa noturna no bairro Coqueiros, em Florianópolis, no dia 25 de julho, ainda não teve as investigações iniciadas.

Segundo a delegada Tatiana da Rocha Klein, da 4ª Delegacia de Polícia da Capital, as imagens das câmeras de segurança foram solicitadas ao estabelecimento na quinta-feira (1º), mas ainda não foram entregues. O prazo é de 10 dias.

A delegada afirmou que, com as imagens em mãos, começará a colher os depoimentos dos envolvidos e de testemunhas.

Homem ficou com o olho inchado após socos desferidos pelos seguranças – Arquivo pessoal

Segundo a vítima, Romário Félix de Melo Costa, de 28 anos, seguranças da casa noturna o imobilizaram e cometeram as agressões na noite de 24 de julho, quando comemorava seu aniversário. Ele disse que chegou a perder a consciência em decorrência da violência.

A reportagem do ND+ entrou em contato com a casa noturna. A representante negou as acusações e reforçou o posicionamento de nota publicada nas redes sociais.

Na nota, o estabelecimento afirmou que a confusão foi causada pelo próprio cliente. Também destacou que é contra “qualquer forma de discriminação, seja por raça, cor, sexo ou religião e ressalta que os fatos serão devidamente esclarecidos uma vez que o estabelecimento possui registros em vídeos para apoiar as autoridades a elucidar o ocorrido”.

Leia também:

Confira a nota publicada pela casa na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Direção do Bar “Mister Chopp” vem a público prestar esclarecimentos sobre reportagem publicada no jornal Notícias do Dia, em 26/07, no qual cliente alega ter sofrido agressões por parte do corpo de seguranças do estabelecimento.

  1. Conforme constatado nas imagens registradas pelas câmeras de segurança do bar e também por outros clientes, a lamentável confusão foi causada pelo próprio cliente que, aparentemente embriagado, teve de ser contido até mesmo por seus convidados.
  2. Dentre outras ações impróprias, o cliente reiteradamente invadiu locais de proibido acesso, como o palco do estabelecimento, jogou bebida em clientes, arremessou copo e garrafa contra segurança, além de ter causado briga com os próprios convidados, tendo recebido agressões destes, tudo devidamente registrado.
  3. Cumpre destacar que o Mister Chopp repudia veementemente qualquer ato de violência e que a direção do bar já registrou Boletim de Ocorrência junto às autoridades competentes para a identificação de todos os envolvidos no intuito de que as providências necessárias sejam tomadas.
  4. Importante destacar que as alegações do cliente de que sofrera homofobia beiram a má-fé uma vez que utiliza tal discurso como razão para seu incontrolável comportamento dentro da casa noturna, tentando criar uma imagem de vítima desassociada da realidade fática.
  5. Esclarecemos que o estabelecimento possui em seu quadro de funcionários profissionais capacitados que objetivam resguardar a integridade física dos clientes bem como a segurança do local.
  6. O Mister Chopp é, e sempre será, contrário a qualquer forma de discriminação, seja por raça, cor, sexo ou religião e ressalta que os fatos serão devidamente esclarecidos uma vez que o estabelecimento possui registros em vídeos para apoiar as autoridades a elucidar o ocorrido.

Atenciosamente,

Mister Chopp

Mais conteúdo sobre

Polícia