Polícia Ambiental tenta proteger corujas em Jurerê Internacional

Soldado vistoriou área onde ambientalistas flagraram o fechamento de ninhos. Agora, quer sinalizar o local

Divulgação/ND

Placa em terreno avisa que há ninhos de corujas, uma ave de rapina

A Polícia Ambiental tenta proteger as corujas da praia de Jurerê Internacional. A intenção é pedir que o proprietário do terreno na avenida Búzios, onde houve a denúncia de  do fechamento de ninhos, coloque placas indicando que há aves no local. Um policial vistoriou a área, mas não encontrou irregularidades. Mesmo assim, vai continuar acompanhando o caso.

Segundo o soldado Cleber Machado, os seis ninhos do terreno estavam abertos e sem sinais de fechamento. “Assistimos à filmagem da câmera de monitoramento, mas não encontramos o suspeito. Pedimos que os moradores fiquem atentos. Só assim podemos realizar o flagrante”, alertou.

A denúncia de crime foi realizada pela ambientalista Mari Paines e amiga Maria Elisabeth Martins. Elas reuniram fotografias de paus e pedras ao redor das tocas. As provas foram enviadas ao Ministério Público, na segunda-feira.

No mesmo bairro, há um local que é exemplo. O proprietário do imóvel instalou uma placa identificando que existem corujas no terreno. O aviso também previne os desavisados sobre os ataques das aves.

Machado informou que pretende tomar a mesma medida na área onde as ambientalistas flagraram as tocas fechadas. “Vamos conversar com o dono do terreno e pedir para ele colocar placas e se possível cercar os ninhos”, prometeu o policial.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias