Polícia Civil aponta acerto de contas como motivação de homicídio em Chapecó

Atualizado

A DIC (Divisão de Investigação Criminal) da Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (7), a motivação do homicídio de Leandro Fernandes da Silva, de 34 anos, que ocorreu na noite de 29 de agosto do ano passado, em Chapecó, no Oeste catarinense. O homem foi morto com quatro tiros que atingiram o rosto, clavícula, abdômen e nádegas.

Inquérito policial foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário – Willian Ricardo/ND

De acordo com o delegado Vagner Papini, dois adolescentes, à época do crime com 17 anos, foram até a residência da vítima para cobrar uma dívida de droga (maconha) no valor de R$ 3 mil. No entanto, Leandro teria se recusado a pagar. 

 “A vítima teria se ‘coçado’, motivo pelo qual um dos adolescentes efetuou aproximadamente 10 disparos de pistola .380. Leandro morreu no local do fato”, disse Papini.

A dupla fugiu pé e se escondeu em uma área de mata. Os dois adolescentes foram identificados e prestaram depoimento na Polícia Civil. 

“Os adolescentes foram ouvidos pelo delegado plantonista na CPP (Central de Plantão Policial) e, admitiram a prática do ato infracional”, destacou Papini. 

Após 11 meses de investigação, o inquérito policial – o último de 2018 – foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário para o arquivamento. Foi instaurado uma apuração de ato infracional, para esclarecer a conduta dos adolescentes. 

Um menor foi internado no dia 26 de junho e, o outro (já maior de idade) acabou preso por outro crime. 

Investigação 

Papini considera que elucidação do homicídio foi difícil, pois não havia testemunhas.

Delegado da DIC deu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira – Willian Ricardo/ND

“A maior dificuldade foi encontrar elementos que pudessem nos ajudar na investigação, visto que ninguém efetivamente viu o fato, ao não ser duas pessoas, um vizinho da vítima que viu o crime de longe e a esposa de Leandro que também presenciou à distância”, comentou Papini. 

A arma usada no crime não foi encontrada. Leandro possuía 18 passagens criminais por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, ameaça. 

Mais conteúdo sobre

Polícia