Polícia Civil prende suspeita de incendiar casa de padre em Camboriú

Mulher já teria ameaçado de morte o religioso em várias ocasiões

A Polícia Civil de Camboriú prendeu na manhã deste sábado (9), no Bairro Rio Pequeno, uma mulher de 39 anos que é suspeita de incendiar a casa do Padre Antonio Wilbert na noite de quarta-feira (6).

Segundo a Polícia Civil, a investigada surgiu como principal suspeita em virtude de uma antiga desavença com o religioso. Além disso, ela já teria se envolvido em situação semelhante em 2014, quando teria ateado fogo na casa de sua própria mãe.

Em janeiro de 2017, a suspeita foi autuada em flagrante após roubar o veículo e outros pertences pessoais do padre. Na ocasião, durante a lavratura do Auto de Prisão em Flagrante, a investigada ameaçou atear fogo na residência e matar a vítima.

Em decorrência desse crime, a mulher foi condenada a cinco anos e oito meses de reclusão, mas deixou o cárcere no dia 24 de abril deste ano.

Na quarta-feira, horas antes da casa ser incendiada, a mulher teria ameaçado matar o padre com uma faca. A ameaça foi presenciada, inclusive, por um policial dentro da Central de Plantão.

Para a polícia, a investigada acreditava que o padre estivesse dentro do imóvel no momento em que o incêndio foi provocado.  O mandado de prisão preventiva foi expedido pela Vara Criminal de Camboriú e cumprido na manhã deste sábado.

Interrogada, a mulher reservou-se o direito de permanecer calada e foi encaminhada ao Presídio Regional de Itajaí, onde permanecerá à disposição do juízo.

+

Notícias