Polícia de SC vai investigar participação de servidores em falsificação de carros

Veículos eram comercializados para o todo o Brasil a preços entre R$ 180 mil e R$ 250 mil - muito abaixo dos praticados pelas montadoras

Após a apreensão de oito réplicas semimontadas de carros esportivos das marcas Ferrari e Lamborghini, a Polícia Civil de Santa Catarina vai investigar a participação de servidores públicos ou outros agentes que poderiam ter facilitado a legalização dos automóveis como protótipos nos Detrans (Departamentos Estaduais de Trânsito).

As investigações foram coordenadas pelo Setor de Investigações Criminais de Itajaí (SIC) – Polícia Civil/DivulgaçãoAs investigações foram coordenadas pelo Setor de Investigações Criminais de Itajaí (SIC) – Polícia Civil/Divulgação

Leia também

Os veículos eram comercializados para o todo o Brasil a preços entre R$ 180 mil e R$ 250 mil – muito abaixo dos praticados pelas montadoras. Os modelos originais são vendidos no mercado por valores entre R$ 1,5 milhão e R$ 3 milhões.

“Agora nós vamos ouvir clientes, fornecedores de peças e funcionários públicos de Santa Catarina e de outros Estados. Não há a possibilidade de esses veículos serem licenciados como protótipos porque eles usavam desenhos e marcas patenteadas”, explicou o delegado Angelo Fragelli, da 1ª Delegacia de Polícia de Itajaí, cidade do litoral norte de Santa Catarina. “Está caracterizada a falsificação e não poderiam ser liberados”, afirmou.

Segundo o delegado, o inquérito ainda trata os delitos como crimes contra a propriedade industrial. “Mas se ficar comprovada a participação de terceiros, poderá também ficar caracterizada falsificação de documentos, associação criminosa, entre outros”, disse.

Os donos da fábrica, que são pai e filho, foram levados para prestar depoimento e liberados em seguida. Eles negaram a falsificação e disseram que são especializados em customização de veículos. A empresa atua há mais de 15 anos no mercado, e a fabricação de protótipos seria um negócio mais recente, informou o delegado.

Apesar de os automóveis serem fabricados em Santa Catarina, a maior parte da produção era enviada para outros Estados, como São Paulo, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul.

“Além da venda de veículos de estoque, pai e filho também produziam sob encomenda, de acordo com o gosto do cliente. As investigações foram iniciadas após denúncias feitas por representantes das próprias marcas.

Clientes pagaram e não receberam

Pelo menos dois clientes já procuraram a polícia catarinense para reclamar sobre a compra de veículos que não foram entregues. A reportagem também teve acesso a um terceiro caso, de um morador de Porto Alegre, que chegou a pagar por uma réplica de Lamborghini, mas nunca recebeu o automóvel.

Na ação movida para reaver os valores, o cliente informou que chegou a dar carro de R$ 55 mil de entrada e pagou o restante, R$ 58 mil, em duas parcelas.

“Curiosamente essas pessoas procuraram a polícia para reclamar que pagaram e não receberam os veículos, e eles sabiam que não se tratava de modelos originais”, informou Fragelli, que vai pedir ampliação do prazo para conclusão do processo.

A reportagem tentou contato com os empresários donos da fábrica em Itajaí, mas até a publicação desta matéria não havia obtido retorno.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Polícia fecha fábrica clandestina de Ferrari e Lamborghini no Vale do Itajaí

A Polícia Civil apreendeu diversos chassis, moldes, ferramentas e fibras relacionadas a delitos contra a propriedade industrial - Polícia Civil/Divulgação
1 13
A Polícia Civil apreendeu diversos chassis, moldes, ferramentas e fibras relacionadas a delitos contra a propriedade industrial - Polícia Civil/Divulgação
Mandados foram cumpridos na manhã desta segunda-feira (15) - Polícia Civil/Divulgação
2 13
Mandados foram cumpridos na manhã desta segunda-feira (15) - Polícia Civil/Divulgação
A investigação tiveram início após uma representação das marcas italianas Ferrari e Lamborguini Automobili - Polícia Civil/Divulgação
3 13
A investigação tiveram início após uma representação das marcas italianas Ferrari e Lamborguini Automobili - Polícia Civil/Divulgação
A representação dava conta da eventual fabricação clandestina dos veículos da marca na cidade de Itajaí - Polícia Civil/Divulgação
4 13
A representação dava conta da eventual fabricação clandestina dos veículos da marca na cidade de Itajaí - Polícia Civil/Divulgação
Os mandados de busca e apreensão foram deferidos pelo Juízo da Comarca - Polícia Civil/Divulgação
5 13
Os mandados de busca e apreensão foram deferidos pelo Juízo da Comarca - Polícia Civil/Divulgação
De posse das informações, policiais diligenciaram e localizaram possíveis endereços onde estariam sendo produzidos os veículos - Polícia Civil/Divulgação
6 13
De posse das informações, policiais diligenciaram e localizaram possíveis endereços onde estariam sendo produzidos os veículos - Polícia Civil/Divulgação
A investigação levantou informações de que referidos veículos são comercializados a clientes de todo o Brasil - Polícia Civil/Divulgação
7 13
A investigação levantou informações de que referidos veículos são comercializados a clientes de todo o Brasil - Polícia Civil/Divulgação
Os envolvidos são tidos como um dos principais falsificadores do Brasil - WhatsApp ImPolícia Civil/Divulgaçãoage 2019-07-15 at 1.24.16 PM (2)
8 13
Os envolvidos são tidos como um dos principais falsificadores do Brasil - WhatsApp ImPolícia Civil/Divulgaçãoage 2019-07-15 at 1.24.16 PM (2)
Os veículos possuem valores de mercado girando de R$ 1,5 milhão a R$ 3 milhões - Polícia Civil/Divulgação
9 13
Os veículos possuem valores de mercado girando de R$ 1,5 milhão a R$ 3 milhões - Polícia Civil/Divulgação
Eles eram comercializados pela fábrica por R$ 180 mil a R$250 mil - Polícia Civil/Divulgação
10 13
Eles eram comercializados pela fábrica por R$ 180 mil a R$250 mil - Polícia Civil/Divulgação
Veículos são considerados de duas das marcas mais luxuosas do mercado - Polícia Civil/Divulgação
11 13
Veículos são considerados de duas das marcas mais luxuosas do mercado - Polícia Civil/Divulgação
As investigações foram coordenadas pelo Setor de Investigações Criminais de Itajaí (SIC) - Polícia Civil/Divulgação
12 13
As investigações foram coordenadas pelo Setor de Investigações Criminais de Itajaí (SIC) - Polícia Civil/Divulgação
O responsável pelas investigações foi o delegado Angelo Fragelli - Polícia Civil/Divulgação
13 13
O responsável pelas investigações foi o delegado Angelo Fragelli - Polícia Civil/Divulgação
+

Notícias

Loading...