Polícia faz buscas na sede no CT e na casa do presidente do Cruzeiro

Atualizado

A sede do Cruzeiro, clube bicampeão da Copa do Brasil, virou caso de polícia. Em Belo Horizonte, a terça-feira iniciou com a Polícia Civil cumprindo mandados de busca e apreensão na sede do clube mineiro. A Toca da Raposa, centro de treinamento, também passa pela ação policial. A operação é denominada “Primeiro Tempo”, numa alusão ao futebol.

Sede administrativa do Cruzeiro, alvo da ação policial – Divulgação

A ação policial ocorre a dois dias do clássico contra o Atlético Mineiro, pela Copa do Brasil. O Cruzeiro é investigado por suspeita de lavagem de dinheiro e uso de empresas de fachada. Mas há também suspeita de venda de direitos federativos de um menor de idade. Há informação de que a dívida é superior a R$ 450 milhões.

Segundo o Ministério Público, há um processo que corre em sigilo. Por essa razão, os detalhes da operação não serão divulgados por enquanto. Em breve a administração do Cruzeiro deve emitir nota de posicionamento.

As buscas policiais estão sendo feitas também em endereços imobiliários do presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá e do seu vice de futebol, Itair Machado.

Leia também:

Brasil