Polícia Federal divulga nome do navio grego suspeito de vazar óleo

O navio grego apontado pelo derramamento de óleo no litoral nordestino é o Boubalina, de propriedade da Delta Tankers. Foi justamente a identificação do navio mercante que motivou a Operação Mácula. A ação foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (1º), pela Polícia Federal. O juiz Francisco Eduardo Guimarães, da 14ª Vara Federal de Natal deu a ordem para a execução.

Navio grego é acusado de ter derramado toneladas de óleo no litoral do Nordeste – Foto: Divulgação

A ação cumpre dois mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro – nos endereços da Lachmann Agência Marítima e da empresa Witt O Briens. Conforme a PF divulgou, as companhias teriam relação com o navio petroleiro de bandeira grega.

De acordo com o delegado Agostinho Cascardo, um dos responsáveis pela investigação no Rio Grande do Norte, as empresas não são suspeitas em princípio. No entanto, podem ter arquivos, informações e dados que sejam úteis às investigações.

O juiz da 14ª Vara Federal em Natal determinou busca e apreensão na empresa Lachmann Agência Marítima – Foto: Reprodução

Defesas

A reportagem tenta contato com representantes da Delta Tankers, Lachmann Agência Marítima e Witt o Briens. O espaço está aberto para as manifestações.

Leia também

Meio Ambiente