Polícia interdita loja de suspeitos pela morte de empresária em São Francisco do Sul

Atualizado

A polícia interditou nesta quarta-feira a loja do casal Fabricio Woche e Magali dos Santos, em São Francisco do Sul. Eles são os principais suspeitos do assassinato de Cátia Regina Silva, há duas semanas. A empresária foi sequestrada quando voltava de Joinville para São Francisco do Sul pela BR-280.

Loja está fechada desde o dia da prisão de Magali – Marcelo Thomazelli / RICTV

Perfil tranquilo

De acordo com os vizinhos da loja, Magali era uma pessoa tranquila e havia aberto o comércio a menos de um ano, no centro da cidade. Desde o dia da prisão da comerciante, a loja permanece fechada para não atrapalhar o curso das investigações.

Segundo o Delegado Rafaello Ross, responsável pelo caso, a principal suspeita é que o crime tenha sido motivado por uma disputa comercial. Testemunhas que estiveram com vítima no dia do crime estão sendo ouvidas pela Polícia. O delegado quer confirmar se as roupas vendidas no comércio de Magali eram as mesmas que estavam no carro da empresária no dia do crime.

Loja foi aberta há menos de um ano no centro de São Francisco do Sul – Marcelo Thomazelli / RICTV

Fabrício Woche, marido de Magali, é apontado pela polícia como o autor do disparo. Ele chegou a fazer uma postagem em uma rede social no último sábado (3), negando o envolvimento no crime e afirmando que ia comparecer a delegacia para prestar depoimento. Minutos depois, a postagem foi apagada e o suspeito permanece foragido.

Cátia foi encontrada em rio na cidade de Araquari – Redes Sociais

Relembre o caso

Cátia Regina Silva foi assassinada enquanto voltava de uma viagem de negócios. O corpo foi encontrado em rio, na cidade de Araquari, com um tiro na cabeça e os braços amarrados.

A Polícia Civil investiga se outras pessoas também estão envolvidas no crime. Ainda não há prazo para a conclusão do inquérito.

Polícia