Polícia investiga venda de certificados escolares falsificados no Sul de SC

Atualizado

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta segunda-feira (17) uma operação para apurar a venda de certificados escolares falsificados em Lauro Müller, no Sul de Santa Catarina. Os investigadores apuraram que uma funcionária pública da educação estaria produzindo e vendendo históricos e certificados escolares falsificados de escola estadual por R$ 800.

Mulher vendia certificados escolares falsificados pelo valor de R$ 800,00 – Polícia Civil/DivulgaçãoA operação, cujo nome significa “documento falso” em latim, teve início a partir de inquérito policial instaurado na delegacia de Lauro Müller, sob comando da delegada Juliana Freitas Zapelini. A ação, integrada com o Ministério Público Estadual, é realizada em conjunto com a Polícia Civil de Orleans e o IGP (Instituto Geral de Perícias).

A polícia apurou também que a mulher produzia trabalhos escolares para alunos pelo valor de R$ 50. Ela era apoiada por uma outra pessoa, identificada como um de seus clientes.

Leia também:

Durante as investigações foram ouvidas testemunhas que indicaram a possível prática dos crimes de falsificação de históricos escolares da Escola Básica Engenheiro Ernani Cotrin, no Distrito de Guatá. A polícia também descobriu que um ex-aluno da escola estaria oferecendo certificados escolares para venda, o que foi confirmado por uma outra testemunha.

De acordo com o delegado Ulisses Gabriel, em exercício em Lauro Müller, foram cumpridas buscas nos endereços dos investigados para a produção de prova e busca e apreensão na escola Engenheiro Ernani Cotrin. Segundo a polícia, foi de lá que a funcionária teria acessado os sistemas do Estado para inserir dados falsos.

A operação deflagrada nesta manhã apura crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e inserção de dados falsos em sistema informatizado da administração pública.

Polícia