Postos de Florianópolis estão abastecidos, mas combustível não deve durar até o fim do dia

Depois de enfrentarem a crise de abastecimento e as filas enormes para abastecerem seus veículos nos poucos postos com gasolina na Capital, os motoristas podem ficar mais tranquilos nesta quinta-feira (31). Segundo o Sindópolis (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis), todos os postos da Capital já receberam produtos de gasolina e estão aptos para atender os consumidores.

Apesar da maior oferta de combustível na cidade, filas continuam se formando - Daniel Queiroz/ND
Apesar da maior oferta de combustível na cidade, filas continuam se formando – Daniel Queiroz/ND

No entanto, o vice-presidente do Sindópolis, Joel Fernandes, alerta que a quantidade de combustível deve ser suficiente para atender a população somente até às 16h desta quinta. “Os caminhões continuam sendo abastecidos e saindo da distribuidora em Biguaçu com destino aos postos de combustível, que irão atender novamente nesta sexta”, tranquilizou.

A venda continua limitada a R$100 por cliente e a comercialização em galões proibida. As regras só deixam de valer quando a situação for normalizada, o que deve acontecer no Estado na próxima semana de acordo com o Sindipetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina).

Segundo o Procon-SC, a gasolina deve ser vendida ao preço praticado antes do início da greve, entre R$ 4,19 e R$ 4,49. Em Florianópolis, alguns postos já começaram a praticar valores maiores. O Procon da Capital informou que o Sindópolis já foi notificado e uma nova fiscalização está prevista para segunda-feira (4). Os consumidores que se sentirem lesados devem procurar o Procon com o cupom fiscal e abrir um processo administrativo para solicitar o ressarcimento.

Cidade