Postos salva-vidas do Sul da Ilha serão reconstruídos para a temporada

Unidade do Campeche será de alvenaria e construção deve começar ainda em outubro

Os quatro postos de salva-vidas incendiados entre os meses de maio a julho deste ano serão reconstruídos em breve, segundo o comandante do GBS (Grupo de Busca e
Salvamento) do Corpo de Bombeiros, capitão Bruno Azevedo Lisboa.

O que sobrou do posto salva-vidas do Campeche, incendiado em julho - Flávio Tin/ND
O que sobrou do posto salva-vidas do Campeche, incendiado em julho – Flávio Tin/ND

De acordo com o capitão, a unidade do Campeche – que foi incendiada no dia 21 de julho e cujos destroços continuam na areia – será a primeira a ser reconstruída, mas
dessa vez será feita de alvenaria.

A construção deve começar ainda neste mês de outubro e custará em torno de R$ 40 mil. “Esse posto já era maior, porém feito de madeira. Agora vamos aproveitar uma parceria público-privada para oferecer uma estrutura melhor e que evita atos de vandalismo”, explica o capitão.

Os outros abrigos que também foram queimados nas praias do Caldeirão, Areias do Campeche e Novo Campeche continuarão sendo feitos em madeira, mas as obras iniciarão mais perto da temporada, possivelmente em novembro para que estejam concluídas em dezembro. “Faremos isso para não ter problemas semelhantes aos que já ocorreram, antes mesmo de a temporada começar”, diz o comandante do GBS.

Conforme o capitão Bruno Azevedo Lisboa, a reconstrução de cada posto custa entre R$ 8 mil e R$ 10 mil, portanto os gastos devem oscilar entre R$ 70 mil e R$ 80 mil.

Autoria desconhecida

A unidade de salva-vidas da Praia do Caldeirão, no Morro das Pedras, foi queimada em 16 de julho e havia sido construída no final do ano passado, após ser destruída
durante um período de ressacas marítimas. Em junho, o ato de vandalismo foi cometido no posto de Areias do Campeche e, em maio, a ocorrência foi no Ponto da Cruz, entre o Rio Tavares e Novo Campeche.

Até o momento, não foram descobertos os autores dos incêndios. No posto do Campeche, a suspeita é de que um vazamento de gás possa ter provocado as chamas.

Além dos quatro postos queimados, ooutros dois foram arrombados e tiveram as portas danificadas, na praia dos Ingleses, no Norte da Ilha. De acordo com o comandante, eles já foram restaurados.

A corporação tem 52 pontos de observação em 27 praias da Ilha de Santa Catarina, e mais da metade deles possui abrigos. Durante o inverno, o Corpo de Bombeiros utiliza
apenas os postos das praias Mole, Joaquina e Ingleses.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...