Prefeitura de Florianópolis amplia ações voltadas ao enfrentamento do coronavírus

Atualizado

Prefeito e secretário de Saúde anunciaram ontem novas medidas para combater o novo coronavírus na capital catarinense – Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND

A Prefeitura de Florianópolis ampliou nesta terça-feira (24) as iniciativas voltadas ao enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19) no município. Foram anunciadas medidas sociais, econômicas e de saúde pública para o período de isolamento social.

Entre as ações, mudanças na vacinação contra a gripe, que terá início no próximo dia 30 para pessoas com 60 anos ou mais. De acordo com a prefeitura, nas unidades de saúde, será atendido apenas quem tiver com sintomas respiratórios. As demais pessoas receberão a vacina em colégios que ainda serão escolhidos ou por sistema Drive Thru, em pontos que serão instalados no terminal de ônibus inativo do Jardim Atlântico, na Beira-Mar Continental (próximo das quadras de esportes), em frente ao bar do Koxixo’s, na Beira-Mar Norte; no terminal de ônibus desativado do Saco dos Limões, e junto à Política Militar Rodoviária na SC-401, na Ilha. Nestes locais, os motoristas deverão conduzir somente o idoso, no banco de trás, e apenas o condutor deverá sair do veículo para cadastrar o idoso que será vacinado. Além destes, novos pontos serão divulgados ao longo desta semana, segundo a administração municipal.

A prefeitura informou, ainda nesta terça-feira (24), que os 34 enfermeiros e médicos selecionados por meio de concurso e que reforçarão as equipes que farão o atendimento à saúde em Florianópolis. Também é avaliada a possibilidade de renovação de pessoal contratado e de contratação de novos profissionais com este vínculo empregatício.

“Os novos concursados começam a trabalhar imediatamente. Apenas os profissionais de saúde de outras cidades devem chegar em Florianópolis nos próximos dias para assumir a vaga. Avaliamos todas as possibilidades para que preservar os idosos e garantir que eles tenham segurança para a vacinação contra a gripe, que é uma garantia para a saúde desta população. É fundamental que todos continuem em isolamento social, para que possamos reduzir a disseminação do novo coronavírus na cidade”, afirmou o prefeito da Capital.

Leonilde Buzinaro, 78, moradora do Jardim Atlântico, conta que ficou mais tranquila após as declarações do prefeito. “Confesso que estava preocupada mesmo, porque todos os anos eu tomo a vacina contra a gripe. E eu já estava pensando: ‘Meu Deus, com esse vírus por aí e a gente sem poder sair de casa, como vou fazer para ir no posto’? Mas agora será bem mais fácil desta forma, também vai ter vacinação aqui no Continente e eu até já pedi para o meu afilhado Fábio me ajudar e me levar de carro, é um sossego isso para a gente”, afirmou. Nos asilos da cidade, técnicos da área vão ministrar as vacinações.

Desde o dia 13 deste mês, data seguinte ao anúncio dos dois primeiros casos do novo coronavírus em Florianópolis, a Prefeitura da Capital tem anunciado medidas restritivas de combate à propagação do Covid-19. A primeira iniciativa foi a assinatura de um decreto que proibiu a realização de eventos com mais de 250 pessoas em ambientes ao ar livre, e mais de 100 pessoas em locais fechados. O documento também recomendou que pacientes com sintomas respiratórios ficassem em casa, e que pessoas idosas e pacientes de doenças crônicas evitassem ambientes com aglomeração de pessoas, entre outras determinações para a prevenção da doença.

Aulas continuam suspensas na rede municipal e privada de ensino em Florianópolis – PMF/Divulgação/ND

Três dias depois, a prefeitura endureceu as ações e publicou novo decreto que suspendeu as aulas nas redes municipal e privada por 14 dias, a partir do dia 17 de março. A proibição vale para os ensinos infantil, fundamental, médio, técnico e superior, além do EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Pelo documento, também devem permanecer fechados, por 14 dias, cinemas, museus e teatros, por 14 dias. Estão ainda proibidos cursos com público e foram suspensas visitas em lares de idosos. Todos os servidores da secretaria municipal de Saúde tiveram as férias suspensas.

No dia 19 de março, em transmissão pelas redes sociais, o prefeito anunciou o fechamento da entrada da Ilha de Santa Catarina, por meio da ponte Pedro Ivo, para ônibus vindos de outras cidades. O trabalho e fiscalização é realizado pela Guarda Municipal de Florianópolis, que tem viaturas posicionadas na entrada da ponte pelo lado continental. As praias também foram fechadas, para evitar aglomerações durante o período de quarentena. Desde então, agentes da Guarda Municipal e policiais militares fazem rondas diárias nos balneários para abordar e orientar os banhistas que insistirem em permanecer no local. O monitoramento também tem sido feito em outras áreas públicas pela Guarda, como a avenida Beira-Mar Norte.

Florianópolis foi o primeiro município do Estado a adotar estas medidas e as decisões tomadas de forma rápida e decisiva pelo prefeito reduziram significativamente o aumento do número de casos de pessoas infectadas e a propagação do vírus na cidade.

Agentes da Guarda Municipal de Florianópolis monitoram praias para evitar aglomerações -PMF/Divulgação/ND

Ajuda para famílias de baixa renda

De acordo com a prefeitura, são realizadas, no momento, tratativas para o estabelecimento do Cartão-alimentação, para que os mais necessitados tenham condições de receber um valor de R$ 100, que vai possibilitar a compra de duas cestas básicas e meia por mês. Para isso, o município vai disponibilizar R$ 200 mil por mês e, assim, atender 2.000 famílias de autônomos como faxineiras, que neste período não podem trabalhar, com renda de até três salários mínimos.

Por meio do Fundo da Defesa Civil, voltado aos casos de calamidade ou de pessoas em busca de ajuda, o município espera poder contar com doações para que mais 6.000 famílias sejam atendidas. “Isso para dar condições a um número maior de famílias que precisam do básico. A prefeitura não está pedindo dinheiro”, deixou claro o prefeito. Afinal, segundo ele, para isso, seriam necessários mais R$ 600 mil por mês.

Incentivo à economia e educação em casa

Com o objetivo de estimulara economia, o prefeito anunciou que a administração municipal deverá implantar o Programa Juro Zero Especial, por meio da parceria entre o Banco do Empreendedor e a Secretaria da Fazenda, voltado aos microempreendedores individuais e às microempresas. Serão ampliadas carências, entre outras ações.

Ainda foi reforçado que a Prefeitura está buscando a aquisição de mais kits para testes. “Para a gente voltar à normalidade, é preciso fazer testes, testes e testes”, enfatizou, ao dizer que a ideia é fazer um trabalho conjunto com os demais prefeitos da região, com o intuito de que estes testes sejam realizados e, assim, gradativamente, 90% ou mais dos cidadãos possam ser liberados para voltar à atividade econômica. “Florianópolis está se preparando para deixar em isolamento só os idosos”.

O prefeito de Florianópolis destacou ainda que está em funcionamento no site da Prefeitura – www.pmf.sc.gov.br – o Portal Educacional, com uma série de atividades de ensino disponíveis para os estudantes em geral, e não apenas para os dos estabelecimentos municipais. São vídeo-aulas e visitações virtuais de museus, por exemplo.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis