Prefeitura de Florianópolis implanta projeto pioneiro no país na área da saúde

Atualizado

“Eu passo o dia todo fora e nunca conseguia arranjar tempo para agendar uma consulta no posto de saúde do Rio Vermelho, onde moro, pois é muito distante do meu local de trabalho, no Centro. Mas agora vou agendar minhas consultas em Santo Antônio de Lisboa, que fica no meio do caminho. Espero, com esse programa, conseguir colocar minha saúde em dia”, afirma Cátia da Rosa.

Ela se refere ao projeto pioneiro no país Lista de Pacientes, implantado pela Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, no início de maio deste ano. A iniciativa possibilita que o paciente escolha em qual unidade básica de saúde e por qual equipe será atendida. Por enquanto, o programa é testado nos postos de Santo Antônio de Lisboa, Balneário Estreito e Rio Tavares.

Tiago Vidal, médico de família, atende no posto de saúde de Santo Antônio de Lisboa: referência em saúde – Divulgação PMF

Para conseguir o atendimento, a pessoa deve ir a um desses três postos de saúde com a carteira de identidade, o cartão do SUS (Sistema Único de Saúde) e fazer a solicitação no balcão. O prefeito Gean Loureiro destaca a importância da iniciativa. “Saúde é prioridade e esse projeto busca a satisfação do usuário das unidades de saúde, a valorização do vínculo entre o paciente e as equipes de saúde. Nosso objetivo é sempre atender, da melhor forma possível, as necessidades do cidadão de Florianópolis”, afirma.

Vínculo entre paciente e equipes de saúde

A intenção é que, até o final deste ano, a iniciativa seja implantada em 30 unidades de saúde. O secretário municipal da Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva explica que, hoje, as equipes de saúde da família atendem pelo critério territorial. Desta forma, caso o paciente mude de endereço, sua equipe médica também será outra. “Esse projeto modifica esse critério, isso quer dizer que mesmo que a pessoa mude de bairro, poderá continuar sendo atendida pela equipe de saúde do antigo endereço, a que está acostumada. Ou então ela pode escolher ser atendida na unidade próxima do local de trabalho e não mais na unidade que atende seu endereço residencial”, acrescenta.

No modelo atual, quando a pessoa muda de endereço ou quando o profissional muda de equipe quebra-se o vínculo e continuidade do cuidado. Em Florianópolis, segundo levantamento da prefeitura, cerca de 30% das pessoas moram de aluguel e com a chegada da temporada de verão, muitas vezes, esses pacientes são obrigados a mudar de endereço e perdem o acompanhamento pela equipe à qual estavam acostumados Com a Lista de Pacientes, estes problemas são minimizados, pois o usuário pode tanto escolher em manter o acompanhamento na clínica/equipe de referência, quanto escolher outro local de vinculação. Caso o profissional mude de lotação o usuário segue vinculado à lista da equipe, e caso prefira, pode procurar manter seu acompanhamento com o profissional em seu novo local de trabalho.

Atenção Primária da Saúde

Para conseguir o atendimento, a pessoa deve ir a uma das três unidades de saúde cadastradas no programa com a carteira de identidade e o cartão do SUS – Divulgação PMF

O objetivo do programa Lista de Pacientes é aprimorar o acesso e a satisfação do usuário valorizando o melhor do modelo brasileiro de APS (Atenção Primária da Saúde) territorial, aliado ao modelo de listas comum em outros países com APS forte, como Holanda, Suécia, Espanha, Dinamarca e Noruega.

Para atingir essa meta, foi desenvolvido um modelo híbrido, que mantém e aperfeiçoa as ações das equipes no território ao favorecer o trabalho dos ACSs (Agentes Comunitário de Saúde), por meio da incorporação de tabletes para visitas domiciliares, redução de tarefas burocráticas, efetivação de listas de pacientes, treinamentos em comunicação com usuários e novas contratações preferenciais para áreas vulneráveis de interesse social. Com a presença de uma clínica em cada bairro, as equipes permanecem próximas do local de vida, trabalho e cultura das pessoas, conhecendo e considerando os determinantes ambientais e sociais da saúde no processo de atendimento e produção do cuidado humanizado em saúde.

As listas das unidades de saúde, de acordo com a prefeitura, emergem do território e todas as pessoas que já consultam com suas equipes pertencem a estas relações. Para moradores novos ou pessoas que consultam pela 1ª vez também é garantido atendimento pela sua equipe de referência do centro de saúde do seu bairro.

Saúde da família

Das 122 ESFs (equipes de saúde da família) que atuam hoje, 30 delas têm um número superior de pessoas na lista. Para todos estes bairros a Secretaria Municipal de Saúde planejou e efetiva uma expansão de 26 ESFs: Barra da Lagoa, Rio Vermelho, Ingleses, Cachoeira do Bom Jesus, Ponta das Canas, Vargem Grande, Jurerê, Rio Tavares, Campeche, Fazenda do Rio Tavares, Tapera, Costeira do Pirajubaé, Pantanal, Córrego Grande, Monte Cristo, Jardim Atlântico e Centro receberão novas equipes no segundo semestre deste ano.

Com esse incremento, ressalta a prefeitura, cada equipe da cidade terá, em média, 1.900 pessoas. O Ministério da Saúde recomenda de 2.000 a 3.250 pessoas por equipe de saúde da família. Florianópolis recomenda 2.500 no geral e 2.000 em áreas de vulnerabilidade/interesse social. O projeto Lista de Pacientes traz consigo um avanço da atenção primária com melhoria do acesso e qualidade dos serviços de saúde, de forma que todas as pessoas possam entrar nas listas do seu bairro, mudar de equipe caso prefiram dentro do mesmo centro de saúde e ainda consultar em outra unidade de saúde mais próxima do seu trabalho.

O médico de família Tiago Vidal, ressalta que esse novo modelo, já é adotado por vários países europeus e amplia esse vínculo entre o paciente e os profissionais de saúde. “Passamos a ser médicos de pessoas e não mais de endereços, e isso aumenta a referência em saúde”, explica.

Com a recuperação de 100% de cobertura pela ESF, aliado ao Projeto de Lista de Pacientes, Florianópolis consolida, por meio da Prefeitura da Capital, um modelo público de qualidade para seus munícipes e se torna referência para o Brasil em oferta de serviços de atenção primária.

Prefeitura de Florianópolis