Prefeitura de Florianópolis incentiva uso de máscaras caseiras para prevenir coronavírus

Atualizado

Máscaras caseiras devem ser usadas para sair do isolamento social, para a aquisição de medicamentos ou mantimentos no supermercado – PMF/Divulgação/ND

A Prefeitura de Florianópolis recomenda que pessoas sem sintomas da Covid-19 – doença provocada pelo novo coronavírus – também passem a usar máscaras caseiras ao sair de casa. Elas devem ser utilizadas quando for preciso sair do isolamento social, para comprar medicamentos ou ir ao supermercado, por exemplo. A recomendação municipal se baseia em estudos científicos internacionais recentes, que apontam que as máscaras faciais servem como medida adicional na prevenção contra o contágio do novo coronavírus.

Embora ainda não haja recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) para que todos a usem, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também sugeriu nesta quarta-feira (1º) que as máscaras de proteção alternativas podem servir como barreira eficiente para a população em geral contra o coronavírus. Já as cirúrgicas e as N95 devem ser reservadas para os profissionais de saúde.

Sua utilização, entretanto, não substitui as principais medidas de prevenção, que incluem a lavagem frequente das mãos com água e sabão, etiqueta da tosse, distanciamento e isolamento social.

Segundo a Secretaria de Saúde do município, os estudos científicos demonstraram que o uso de qualquer tipo de máscara, mesmo as feitas em domicílio, impede a disseminação pelo contato com gotículas que acabam propagando o vírus, ao falar e respirar.

As máscaras de pano não são recomendadas para profissionais de saúde e pessoas que possuem algum sintoma da doença – esses devem usar o tipo cirúrgico. Pessoas com suspeita ou confirmação de Covid-19 devem ficar isoladas e sair do quarto apenas em situações de urgência ou necessidade. Nessas ocasiões, assim como durante o contato com outras pessoas, é preciso utilizar máscara cirúrgica.

Porém, para pessoas sem sintomas, o utensílio caseiro ajuda na prevenção do vírus. As máscaras domésticas são de uso estritamente pessoal e não devem ser compartilhadas.

A população pode confeccionar suas próprias máscaras ou adquiri-las, de preferência com costureiras locais, para ajudar famílias da sua região – PMF/Divulgação/ND

Confecção das máscaras

As pessoas podem confeccionar suas próprias máscaras ou adquiri-las, de preferência com costureiras locais, para ajudar famílias da sua região. Os tecidos recomendados para a confecção são, em ordem decrescente de capacidade de filtragem de partículas virais: tecido de saco de aspirador, pano de prato, cotton (composto de poliéster 55% e algodão 45%), tecido 100% algodão, fronhas de tecido antimicrobiano, fronhas comuns de linho, cachecol/lenço.

Pesquisadores do Centro de Ciências Biológicas da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) prepararam um guia para as pessoas fabricarem suas máscaras, inclusive com os tamanhos e dicas de costura. Veja aqui.

Como higienizar

Para higienização é preciso deixar a máscara imersa em solução com água sanitária (diluição: 1 parte de água sanitária para 50 partes de água, ou 10 ml de água sanitária para 500 ml de água) por 30 minutos. Antes de reutilizá-la, deixar secar bem. Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.

Como usar corretamente

A máscara deve cobrir completamente o nariz e a boca e não deve ser tocada durante o uso. Se precisar ajeitar, faça isso com as mãos limpas e pelas laterais. Também é preciso lavar as mãos antes de retirá-la, usando os elásticos para puxar, com o corpo inclinado para a frente evitando contato da parte externa do tecido com seu rosto.

Coloque imediatamente na solução de desinfecção ou, se estiver fora de casa, dentro de uma sacola plástica bem fechada. Lave as mãos novamente. Sempre desinfecte a máscara após o uso. Caso você permaneça fora de casa por mais de duas horas, é recomendado ter uma máscara extra para troca, porque a eficiência começa a diminuir.

A Prefeitura de Florianópolis também disponibiliza um canal telefônico para orientações. Caso você apresente quaisquer sintomas de coronavírus, entre em contato com o Alô Saúde Floripa pelo 0800-333-3233.

Campanha para doações

Para ajuda da população em vulnerabilidade social, que muitas vezes não pode comprar esta proteção, ou não tem materiais para fazê-las a rede solidária Somar Floripa, está arrecadando materiais. Podem ser doados: tecido de saco de aspirador, cotton, tecido de algodão, fronhas de tecido antimicrobiano, fronhas comuns, linho e lenço.

A entrega de tecidos pode ser feita Passarela Nego, na Avenida Governador Gustavo Richard, 5000, Centro (aos cuidados de Daniel). Costureiras que queiram se voluntariar para produzirem máscaras com os materiais doados, poderão se cadastrar no link: bit.ly/somar-floripa-costureira-voluntaria.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis