Prefeitura de Joinville quer inaugurar novo Mirante do Morro da Boa Vista em março

Estrutura está na fase de acabamento

Fabrício Porto

Novo equipamento público deverá ser um novo cartão-postal no município

Faltando menos de sete semanas para ser reinaugurado, o trabalho é intenso nas obras de revitalização do Mirante do Parque do Morro da Boa Vista, em Joinville. A Prefeitura pretende entregar o espaço à comunidade durante as festividades do aniversário da cidade (9 de março).  Nesta quarta (20), as equipes da empreiteira responsável pela obra faziam o trabalho de acabamento da estrutura do mirante principal, e pavimentação na parte superior do Ponto Turístico.

O mirante mede 14,5 metros de altura, e está em cima do morro da Boa Vista, que tem mais de 200 metros. O local oferece uma vista privilegiada de toda a cidade, da baía Babitonga e até de cidades vizinhas, como Araquari e São Francisco do Sul. O elevador que dá acesso a plataforma principal já foi instalado.

Segundo o diretor executivo do Ippuj (Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville), Gilberto Lessa dos Santos, a estrutura em si do mirante está pronta, mas alguns ajustes ainda precisam ser feitos. “No mirante principal, a empresa responsável pela obra tem que instalar um gradil que vai estender a área de observação, é instalar o guarda corpo. O trabalho de acabamento, pintura e paisagismo de todo o acesso deve ser finalizado nas próximas semanas”, explica o diretor executivo.

Já o outro mirante, menor, voltado ao centro e região oeste da cidade, chamado de janela, está pronto. “Terminamos há poucos dias a trilha de 560 metros que dá acesso a este mirante. O caminho é todo suspenso, feito em deck de madeira e contorna o topo do morro entre a vegetação. Próximo a este espaço funcionará uma lanchonete, que já foi construída e agora está em fase de acabamento”, acrescenta Santos.

Entretanto, a lanchonete não deve estar em funcionamento até a inauguração do mirante, isso porque o espaço ainda está em processo de licitação para saber quem irá explorar o comércio alimentício.

Nos dois mirantes, haverá lunetas onde a comunidade poderá observar pontos estratégicos da cidade com precisão. “Serão três equipamentos, dois no mirante principal e um na janela. Cada um deles custa em média R$ 10 mil. Para usar a luneta, o custo estimado é de R$ 1. O usuário coloca a moeda no equipamento e pode fazer observações por um tempo determinado”, comenta o diretor executivo do Ippuj. “De uma maneira geral, a obra está andando bem, o tempo está colaborando e a empresa deve entregar o mirante para ser inaugurado na semana do aniversário da cidade. Esta é a nossa meta”, finaliza. O acesso ao mirante será gratuito, mas restrito ao horário diurno.

Celesc ainda precisa fazer o rebaixamento dos fios

Entre as providências finais da obra, está o enterramento da fiação elétrica no trecho final de 100 metros da rua Guilherme Rau e que atende as antenas e equipamentos de transmissão de emissoras de rádio, televisão e telefonia. Esse sistema será implantado pela Celesc. O chefe da Agência Regional de Joinville, Jucélio Girardi, informou que nesta semana a empresa iniciou o estudo de como será feita a mudança na rede. “Por uma questão de recursos e definições da obra, não tínhamos iniciado o projeto de aterramento desta fiação. Esta semana estamos fazendo isso. Ali há um complicador porque há redes de duas tensões e ainda tem as antenas de TV. Mas tendo os recursos e o projeto prontos, a obra não deve demorar a ficar pronta”, explicou Girardi. O prazo de execução ainda não foi estipulado pela Celesc.

Investimentos e atrasos arrastam a obra desde 2009

A obra faz parte do Programa Linha Verde, e é financiada pelo Fonplata (Fundo Financeiro de Desenvolvimento da Bacia do Prata). Os investimentos são de R$3,5 milhões. O serviço de revitalização do mirante vem se arrastando há pelo menos três administrações municipais.

+

Notícias