Prefeitura estima prejuízo de mais de R$ 1 milhão por conta das chuvas em Guaramirim

Atualizado

As chuvas que castigaram a região Norte nos últimos dias vem gerando prejuízos aos cofres públicos, principalmente em Guaramirim. De acordo com a Prefeitura, a estimativa é de que as chuvas tenham causado um prejuízo de mais de R$ 1 milhão entre melhorias em locais públicos e privados na cidade.

Deslizamento interditou mais um trecho da SC-108 neste domingo – Foto: PMRv/Divulgação/ND

Ainda não há um balanço final dos estragos, mas, segundo a Defesa Civil, ao menos 200 ocorrências foram atendidas nos últimos dias em decorrência das chuvas. Só nas últimas 72 horas, a cidade já registrou um acumulado de 105 milímetros.

Nesta segunda-feira (10) foram realizados trabalhos de limpeza no acesso ao Morro do Schimidt, na SC-108, onde 50 famílias estavam isoladas após um deslizamento no local. Além disso, 14 imóveis continuam interditados e os moradores seguem em casas de parentes e amigos. Apesar dos números, a cidade não tem registro de desabrigados.

Leia também:

A Defesa Civil informou que vem trabalhando junto com engenheiros e geólogos na elaboração de um estudo mais detalhado a respeito dos estragos na SC-108.O trecho que passava por uma obra de recuperação, também devido as chuvas que atingiram a cidade em 2019, teve um novo deslizamento de terra que causou o bloqueio da pista.

Ainda não há previsão de quando os trabalhos serão retomados na via. O município decretou situação de emergência e, agora, trabalha no levantamento da documentação para reconhecimento junto ao Estado.

Em Jaraguá do Sul, situação já está normalizada

De acordo com a Prefeitura de Jaraguá do Sul, também no Norte do Estado, a situação já está normalizada. Ao todo, por conta das chuvas, 50 ocorrências foram atendidas entre quedas de árvores, deslizamentos de terra e alagamentos.

Ruas ficaram alagadas após forte chuva em Jaraguá do Sul – Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul

Grande parte dos estragos foram registrados na região Central da cidade. Quatro famílias foram orientadas a deixar suas casas por conta do risco de deslizamentos e estão em casas de parentes. Ainda não há previsão de quando elas devem retornar aos imóveis, já que isso vai depender das condições climáticas no local.

Geral