Prefeitura lança três projetos que têm como prioridade os pedestres em Florianópolis

Com o objetivo de dar mais prioridade aos pedestres, a Prefeitura de Florianópolis lançou na tarde desta terça-feira (20) a ação “Cidade para as pessoas”, que contempla três programas de valorização de quem anda a pé pela Capital. Entre as propostas estão o incentivo e regramento dos parklets, o uso de pintura nas ruas como forma de ampliar as calçadas e as novas regras de padronização das calçadas.

Projeto da prefeitura busca humanizar a cidade e estimular os deslocamentos a pé - Daniel Queiroz/ND
Projeto da prefeitura busca humanizar a cidade e estimular os deslocamentos a pé – Daniel Queiroz/ND

De acordo com o superintendente do Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), Ildo Rosa, a proposta é humanizar mais a cidade. “São novos conceitos, que serão um divisor de água para transformar a cidade”, afirma.

Para o prefeito Gean Loureiro (PMDB), as ações não devem ficar só no Centro. “Essas zonas voltadas para pedestres mostram que essa ocupação é muito mais vantajosa do ponto de vista econômico para a cidade e trazem uma característica mais aceitável para a população, que vai ao encontro desses epaços públicos até então abandonados”, diz.

Os projetos devem estimular os deslocamentos a pé e contribuir com a mobilidade urbana na cidade. “Queremos dar um passo novo em um planejamento que recoloque a variável principal em primeiro lugar, que são as pessoas. Elegemos o pedestre como o primeiro protagonista. Hoje temos muito espaço para o carro, pouco para o pedestre e quase nenhum para a bicicleta”, afirma o diretor da Região Metropolitana do Ipuf, Michel Mittmann.

Para o gestor de negócios da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Florianópolis, Hélio Leite, planejar a cidade é essencial para se pensar no futuro e na mobilidade de Florianópolis. “Nossos centros históricos têm sido degradados ao longo de muitos anos e a gente precisa recuperar essa nossa memória e cultura porque são a expressão viva dos nossos costumes e da nossa gente”, destaca.

Pedestres e ciclistas primeiro

De acordo com Michel Mittmann, do Ipuf, hoje os espaços de Florianópolis são divididos da seguinte forma: 0% das áreas para ciclistas, 36% para pedestres e 63% para ruas e estacionamentos. A expectativa da prefeitura é, com estes projetos, elevar a área para ciclistas para 3,7% e a de pedestres para 48%, diminuindo os espaços para carros para 47%. “Isso é a ressignificação do espaço público. Começaremos pelo mais frágil, que é o pedestre”, explica.

Projetos de parklets, como o da rua Alves de Brito, terão custo nulo para a prefeitura - Marco Santiago/ND
Projetos de parklets, como o da rua Alves de Brito, terão custo nulo para a prefeitura – Marco Santiago/ND

Os projetos terão custo baixo (no caso do +Pedestres) ou praticamente nulos para a prefeitura, como os parklets e a calçada certa. O papel do Ipuf e dos órgãos envolvidos da prefeitura será o de orientar, aprovar e fiscalizar a execução dos parklets e das novas calçadas – que são de responsabilidade de cada morador ou comerciante.

No caso do +Pedestres, a prefeitura está em fase final de elaboração do primeiro projeto que será executado, entre as ruas Álvaro de Carvalho e Esteves Júnior, no Centro. Um teste já foi feito próximo à sede do Ipuf, entre as ruas Felipe Schmidt e Almirante Lamego. Ali, houve uma pequena extensão do passeio, com o asfalto pintado de verde.

Os três projetos

+Pedestres: Proposta é recuperar o espaço para a vida urbana por meio de intervenções simples, baratas e rápidas, utilizando pinturas para a ampliação dos passeios, como é feito em cidades como Nova York, São Paulo, Buenos Aires e Cidade do México. O programa propõe um projeto mobilizador no coração da cidade, ao longo do eixo Álvaro de Carvalho e Esteves Júnior, e depois ampliar o programa.

Parklet: É uma pequena praça localizada em uma vaga de estacionamento de vaículos na via pública que cria uma oportunidade de humanização e dinamização do espaço público. O parklet se torna uma ampliação da calçada, equipada com bancos, floreiras, mesas, cadeiras e guarda-sóis, a fim de promover lazer, convivência e recreação para a população. A lei 10.185/2017 regulamentou os parklets no ano passado e, agora, a prefeitura cria um programa para incentivar e aprovar os projetos de parklets em toda a cidade.

Manual calçada certa: Com as novas regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), cada cidadão de Florianópolis deve readequar suas calçadas de acordo com novos parâmetros divulgados no manual calçada certa, do Ipuf. As principais mudanças dizem respeito às cores dos pisos táteis (que agora devem ser pretas e não mais vermelhas) e, como regra geral, os cegos e pessoas com baixa visão agora devem se guiar pelos elementos já edificados na cidade, como fachadas de prédios, muros, grades e muretas, e não apenas aos pisos-guia (estes só devem ser usados em casos específicos).

Cidade