Presos de Joinville podem confeccionar máscaras contra o coronavírus

Atualizado

Os detentos de Joinville, no Norte do Estado, podem começar a auxiliar na produção de máscaras artesanais contra o coronavírus. Para isso, só dependem de doações de matéria-prima.

Com doação de matéria-prima, detentos podem iniciar produção na próxima semana, a – Foto: Arquivo/ND

A portaria 5.2020 foi assinada pelo juiz João Marcos Buch na segunda-feira (6) e permite a produção de máscaras pelos apenados detidos na Penitenciária Industrial e no Presídio Regional. O objetivo é que as máscaras sejam doadas à população joinvilense.

Segundo o juiz, tanto o presídio quanto a penitenciária já se estruturaram para iniciar a produção, mas até o momento, não houve nenhuma empresa disposta a fazer a doação da matéria-prima. Sem esse entrave, garanta, a confecção poderia iniciar já na próxima semana.

“Os diretores já fizeram as movimentações e estão levantando quais detentos desejam trabalhar nessa produção. Além disso, o secretário de saúde está a par e em contato com a direção”, diz.

O magistrado ressalta ainda que este é um momento de solidariedade no qual cada um pode colaborar, de um lado os apenados trabalhando na confecção, de outro as empresas realizando a doação.  A penitenciária possui uma máquina que agilizaria a confecção, mas as máscaras também podem ser feitas manualmente, o que ampliaria a produção.

“Eu acho que a pandemia da Covid-19 abalou todas as nações do mundo e só nós decidiremos se iremos sair melhores. Tenho certeza que o caminho será o da solidariedade e isso se percebe em muitas ações. É isso que eu estou tentando impulsionar”, salienta.

O apelo é para que as empresas façam doações para que a produção possa iniciar, finaliza Buch.

Leia também:

Nove hospitais de SC começam tratamento experimental para a Covid-19

Justiça