Primeiro escalão do governo catarinense recebe R$ 52 mil por ano em ‘vale-combustível’

Atualizado

Membros do primeiro escalão do governo catarinense, que já ganham os maiores salários do funcionalismo, também recebem o chamado ‘vale-combustível’, pago quando o funcionário usa o próprio veículo em serviço. Entre os nomes está Paulo Eli, secretário da Fazenda, que mesmo tendo a disposição uma frota de 12 veículos e oito motoristas recebe por ano cerca de R$ 50 mil através de reembolsos para uso do carro próprio.

Como o benefício tem caráter indenizatório, acaba não tendo incidência sobre o teto do funcionalismo catarinense, que é de R$ 35.462,22. Segundo apurou a reportagem do ND, mais de 400 servidores com salários brutos acima do teto recebem o ‘vale-combustível’, que gira em torno de R$ 4,6 mil mensais. Por ano, na média, esses funcionários recebem R$ 52 mil só em verbas indenizatórias. O valor daria para comprar um carro popular por ano.

Na semana passada, o TCE (Tribunal de Contas do Estado) apresentou relatório onde apontava que em 2018 pelo menos 769 servidores receberam valores pelo uso de carro próprio. O Tribunal questionou a falta de critério para o pagamento dos valores e os riscos de dano ao erário, cobrando posicionamento do governador Carlos Moisés (PSL).

A edição impressa do Notícias do Dia desta sexta-feira trará todos os detalhes desse levantamento.

Mais conteúdo sobre

Política