Projeto de equoterapia melhora qualidade de vida de crianças em Joinville

Atualizado

O ritmo das cavalgadas traz uma sensação de alívio ao pequeno Kauan, de apenas 6 anos. Ele é uma das 38 crianças que fazem parte de um projeto, que atua no Distrito de Pirabeiraba, em Joinville, no Norte do Estado e que usa cavalos como meio para o tratamento de diversas patologias.

Cavalos ajudam no tratamento de crianças com deficiência – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

A equoterapia é um tipo de terapia realizada com cavalos que tem como objetivo estimular o desenvolvimento da mente e do corpo. Através da cavalgadada, o paciente realiza uma série de movimentos em sequência que simulam a marcha humana e proporciona ajustes na postura.

Segundo especialistas, em apenas 30 minutos de cavalgada, ocorrem cerca de 2 mil contrações musculares. Por conta disso, fisioterapeutas usam esse tipo de tratamento para atender crianças que possuam algum tipo de deficiência, justamente para fortalecer a musculatura.

Entre os benefícios obtidos através da equoterapia, estão a melhora da força, equilíbrio, coordenação motora e desenvolvimento. Resultados esses que já fazem diferença na vida dos pacientes.

Projeto atende crianças gratuitamente

O projeto nasceu há 3 anos após uma iniciativa de uma fisioterapeuta que levou os estagiários para conhecer como funciona o método de tratamento, na Viver Equoterapia. Desde então, os alunos realizaram uma parceria com o espaço para que pudessem prestar atendimento a crianças portadores de algum tipo de patologia de forma gratuita.

Entre os participantes, está o Kauan, que tem paralisia cerebral, síndrome de West, deficiência intelectual e autismo. De acordo com Bruna Cristina Stein, mãe do menino, a equoterapia trouxe uma melhora na qualidade de vida do filho.

Após meses de tratamento, a criança, que antes tinha dificuldades decorrentes da doença, atualmente já consegue ficar de pé, dar passinhos e ter controle do tronco, graças a terapia com os cavalos.

“Ele era uma criança muito sonolenta e restritivo para fazer algumas terapias por conta das múltiplas deficiências. Uma das únicas terapias que ele se encontrou e faz com felicidade é a equoterapia. Ele ama”, conta.

Projeto conta com ajuda de patrocínio

Apesar do espaço também contar com tratamentos pagos, todos os atendimentos realizados pelos estagiários na Viver Equoterapia são oferecidos de forma gratuita. Porém, para manter o projeto, mães dos pacientes realizam ações e eventos com o objetivo de garantir a sua manutenção.

“Nós, mães, corremos atrás de recursos para manter o tratamento e ajudar as fisioterapeutas a custear o projeto”, explica.

Projeto já existe há três anos e atende atualmente 38 crianças – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

Esse ano, por exemplo, o grupo fará um churrasco beneficente, no mês de abril, em prol ao projeto. Por conta disso, a entidade vem buscando doações de alimentos, bebidas e objetos para realização do evento, além de prêmios que serão sorteados em uma rifa organizada pela entidade.

“Esse evento é justamente para manter na ativa, por pelo menos 12 meses, esse projeto que ajuda tanto os nossos filhos. Isso também é importante é para que o projeto aumente e consiga incluir mais crianças com deficiência nesse tipo de tratamento”, finaliza Bruna.

Além disso, os interessados também podem ajudar com o apadrinhamento de uma das crianças. Para mais informações, a respeito do projeto e como ajudar podem ser obtidas através do instagram.

Leia também:

Mais conteúdo sobre

Saúde