Reagente facilitará perícia de drogas em apreensões feitas pela polícia em Santa Catarina

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina assinam convênio nesta quinta-feira (10) para a realização de exames toxicológicos por agentes de segurança no próprio local das ocorrências relacionadas ao porte de drogas ilícitas. Segundo a assessoria de imprensa do TJSC, o objetivo é verificar se a substância apreendida é realmente ilícita ou trata-se de composto falso.

Hoje, a substância apreendida é encaminhada para o IGP (Instituto Geral de Perícias) – onde é feita a análise que comprova se a substância é ilícita, o que “toma tempo e impede uma análise mais rápida de outros casos mais complexos”.

Santa Catarina será o primeiro estado a implantar esse procedimento, a partir da utilização de kits com reagentes de reação rápida, similares aqueles utilizados por policiais que atuam no combate ao narcotráfico nos principais aeroportos do mundo.

Segundo o TJSC, a medida possibilitará maior agilidade na tramitação de processos judiciais e, simultaneamente, permitirá aos técnicos do IGP maior dedicação na realização de perícias de casos complexos.

Em 2018, o IGP realizou 18 mil exames toxicológicos desta natureza, com a consequente emissão dos autos de constatação para anexação em igual número de termos circunstanciados.

Estado

Nenhum conteúdo encontrado