Reitegração de posse da sede do Palmeirinha resulta em momentos de tensão em Florianópolis

Moradores puseram fogo em pneus e obstruíram a rodovia Osni Ortiga, no Porto da lagoa

Atualizada às 11h15

Marco Santiago

Já na terça-feira a comunidade tinha arrancado a placa que informava a decisão judicial

A reintegração de posse na sede da Sociedade Esportiva Palmeiras, do Porto da Lagoa, em Florianópolis, provocou momentos tensos na manhã de quarta-feira (11). Desde terça-feira, moradores se mobilizaram para protestar contra a reintegração do terreno, onde há 25 anos funciona o clube de futebol local.

Pela manhã, a polícia acompanhou os operários que demoliram as construções que serviam de vestiários e também os alambrados. Revoltados, moradores puseram fogo em pneus e obstruíram a rodovia Osni Ortiga em frente ao campo.

O batalhão de choque da Polícia Militar voltou ao local, mas não houve confronto com os moradores. O fogo foi apagado (a chuva ajudou), mas os soldados jogaram bombas de efeito moral para manter os moradores afastados. No momento, a PM dá apoio à Comcap, que está limpando a rodovia para desobstruir a estrada.

Uma ordem judicial reconheceu Volnei de Medeiros como proprietário da área de 8.020 metros quadrados. O espaço era utilizado pelos associados há mais de 25 anos e foi considerada zona de área verde de lazer pelo poder público, em 2006.

+

Notícias