Reparo do Águia 02 ocasionou a suspensão do contrato de manutenção das aeronaves da PM

A PM (Polícia Militar) de Santa Catarina divulgou uma nota na noite desta quinta-feira (7) a respeito da situação de suas aeronaves que operam em Florianópolis, Lages e Joinville. Segundo o comunicado, assinado pelo tenente-coronel João Batista Réus, o contrato de manutenção delas foi suspenso para ajuste da cota financeira, devido aos “gastos extraordinários de manutenção” resultantes dos reparos do motor da aeronave Águia 02, da Capital.

O helicóptero resgatou as vítimas na trilha da Barra da Lagoa - PM/Divulgação/ND
O helicóptero Águia 02 está em fase de substituição do motor provisório – PM/Divulgação/Arquivo/ND

Na nota, a PM informou que o contrato em questão compreende a inspeção diária das três aeronaves, “recomendada por questões de segurança no início de cada turno operacional”.  Por causa disso, os helicópteros de Lages e Joinville permanecem em solo, prontos para uso, mas sem permissão para operar. A exceção é a aeronave de Florianópolis, que está em fase de substituição do motor provisório, retornando o motor original, que estava em conserto.

Segundo o Comando da PM, a questão será resolvida nos próximos dias. Enquanto isso, segundo a nota, a Secretaria de Segurança vem utilizando outras aeronaves de asas rotativas,com características de multimissão, para prestar apoio a ocorrências.

Em Lages, no Planalto Serrano, a aeronave que atende cerca de 20 municípios da região está há 16 dias sem levantar voo. Já em Joinville, está estacionado no hangar da 2ª companhia de aviação o helicóptero Águia, que atende 44 municípios da região Norte do Estado.

>> Helicópteros da Polícia Militar de SC estão fora de operação por falta de manutenção

Estado

Nenhum conteúdo encontrado