Revitalização da SC-401 deve começar dentro de 30 dias

Atualizado

As obras de revitalização da rodovia José Carlos Daux, a SC-401, que dá acesso ao Norte da Ilha de Santa Catarina, devem começar dentro de 30 dias, segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Carlos Hassler.

Reforma da SC-401 deve começar em 30 dias – Anderson Coelho/ND

Os trabalhos serão realizados durante a noite e a madrugada, para minimizar os transtornos. “A obra levará de um ano e meio a dois anos, dependendo das condições do tempo e do andamento dos trabalhos”, afirma.

A ordem de serviço que autoriza o início dos reparos foi assinada digitalmente pelo governador Carlos Moisés, durante solenidade na sede da Acif (Associação Empresarial de Florianópolis), nesta segunda (10). O investimento previsto é de R$ 32,3 milhões, sendo R$ 29,2 milhões referentes às obras e cerca de R$ 3,1 milhões para a supervisão dos trabalhos.

A obra será executada pela EPC Construções, de Minas Gerais, que ganhou a licitação em 2017, e faz parte do plano estratégico do governo estadual para melhorar a infraestrutura catarinense. “É uma obra que vai melhorar o trânsito e aumentar a segurança para quem transita”, afirmou o governador.

A revitalização ocorrerá em um trecho de 12 quilômetros, entre os entroncamentos com a SC-404, no Itacorubi, e a SC-402, no bairro Ratones. Estão previstos serviços de pavimentação, terraplanagem, drenagem, sinalização, troca de guard rails metálicos por muretas de concreto e a implantação de uma terceira pista na subida do João Paulo, até o cemitério Jardim da Paz.

Serão incluídas ainda uma ciclovia entre o cemitério do Itacorubi e o trecho do Cacupé (com recursos da iniciativa privada e da prefeitura de Florianópolis) e duas novas passarelas de pedestres, que foram reivindicadas pela comunidade. Para o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, essa revitalização é fundamental e vem em boa hora, pois é a rodovia de maior movimento em Santa Catarina.

Longa espera

A notícia do começo da revitalização é recebida com expectativa e ansiedade pelas pessoas que transitam pela rodovia e moram ou trabalham no Norte da Ilha.

Edson Ferreira defende a reforma de toda a SC-401 e a construção de uma terceira faixa – Anderson Coelho/ND

Para o borracheiro Edson Ferreira, que trabalha e mora às margens da rodovia, a obra chega com dez anos de atraso. “Já seria necessário fazer uma terceira faixa, porque o trânsito é muito intenso e qualquer problema que acontece tranca todo o tráfego”, avalia. Ferreira também acredita que o certo seria recuperar toda a estrada, do início ao fim.

Um de seus clientes, o motorista aposentado Arnaldo Edmundo Ludwig, que mora há 35 anos no bairro Saco Grande, também defende a construção de uma terceira pista. “No verão é impossível transitar com apenas duas faixas e não temos uma via alternativa para deslocamento”, justifica. Ludwig conta que já estragou o pneu do carro várias vezes e se envolveu em pequenos acidentes por conta dos buracos.

Arnaldo Ludwig já teve vários problemas com pneus e pequenos acidentes por conta dos buracos na SC-401 – Anderson Coelho/ND

A questão da segurança e da necessidade de mais passarelas e recuos ao longo da rodovia foram lembradas por Eleno Lummertz, proprietário de uma oficina mecânica na região próxima ao cemitério da Paz. “Aqui todos os dias tem algum tipo de acidente e, sem os recuos, os carros envolvidos ficam na pista até a viatura policial chegar, causando filas enormes”, afirma.

Além disso, Lummertz aponta a falta de iluminação adequada, que acaba trazendo insegurança. “Depois que o sol se põe essa região fica às escuras, tornando o local perigoso por conta de assaltos e colocando em risco a vida de muitos pedestres que transitam pelo pouco acostamento”, observa.

Eleno Lummertz se preocupa com a falta de recuos e a segurança para os pedestres – Anderson Coelho/ND

“Quando eu era criança, o Norte da Ilha era uma região de veraneio, poucos moravam aqui e o comércio era mais centralizado. Hoje, temos o Norte como uma cidade dentro de Florianópolis e a rodovia precisa acompanhar esse desenvolvimento”, opina.

Menos mortes

Conforme dados da PMRv (Polícia Militar Rodoviária), no ano passado foram registrados 588 acidentes, com 219 feridos e 13 mortes, três a mais em relação a 2017.

Neste ano, foram 183 acidentes, com 54 vítimas e nenhuma morte desde Canasvieiras até o começo da SC-404, no Itacorubi. Caso continue sem registrar mortes nesse trecho, a rodovia quebrará o recorde atual de 210 dias (batido em 1997) sem vítimas fatais, nesta quinta-feira (13).

“O consumo excessivo de bebidas alcóolicas e a direção em velocidades acima do permitido para a via, além da pavimentação desgastada acabam sendo as maiores causas de acidentes nessa rodovia. Por isso, aumentamos ostensivamente a fiscalização com ações diárias da Operação Lei Seca na SC-401, além de operações preventivas e pedagógicas, com vistas a evitar acidentes”, afirma Hoffmann.

Infraestrutura