Santa Catarina tem 109 casos confirmados de coronavírus

Atualizado

Santa Catarina agora tem 109 casos confirmados de coronavírus. Além disso, há 336 casos suspeitos. O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, e o secretário de Estado de Saúde, Helton de Souza Zeferino, atualizaram os números no início da noite desta terça-feira (24). O aumento de casos representa 26,7% em relação aos números anteriores.

Antes da entrevista coletiva, transmitida pela internet também como forma de evitar a propagação do novo coronavírus, Moisés participou de reunião com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e governadores da região Sul na manhã desta terça-feira.

Confira os municípios com casos confirmados:

  • Balneário Camboriú – 9
  • Braço do Norte – 9
  • Blumenau – 7
  • Chapecó – 3
  • Criciúma – 9
  • Florianópolis – 20
  • Gaspar – 1
  • Gravatal – 2
  • Içara – 1
  • Imbituba – 4
  • Itajaí – 10
  • Jaguaruna – 2
  • Jaraguá do Sul – 2
  • Laguna – 1
  • Lages – 1
  • Joinville – 4
  • Navegantes – 3
  • Pomerode – 1
  • Porto Belo – 2
  • Rancho Queimado – 2
  • São José – 6
  • Tijucas – 1
  • Tubarão – 9

Leia também

Até o dia anterior, Santa Catarina havia registrado 86 casos de coronavírus, mas nenhuma morte. Outros 410 casos estavam esperando o resultado do exame. No entanto, o número não foi atualizado na última segunda-feira (23), devido a ajustes na plataforma do Ministério da Saúde.

Segundo Zeferino, seis pacientes estão internados em UTIs. No entanto, os números podem mudar conforme a entrada de novos casos na rede de saúde. Os demais casos estão em suas residências.

Número de leitos

Além dos 801 leitos em hospitais credenciados da rede pública e filantrópica, o governo de Santa Catarina prevê criar mais 713 leitos de UTI no prazo de 30 dias. Este acréscimo será feito em parceria com a oferta da rede privada de hospitais e espaços oferecidos por empresas, clubes e centros de eventos.

Balanço do Ministério da Saúde

O total de casos confirmados pelo Ministério da Saúde saiu de 1.891, na segunda-feira (23), para 2.201, um acréscimo proporcional de 16% e de 310 em números absolutos. As mortes continuam restritas a São Paulo, com 40 óbitos, e Rio de Janeiro, com 6 falecimentos. A taxa de letalidade saiu de 1,8% para 2,1%.

Como local de maior circulação do vírus no país, São Paulo também lidera o número de pessoas infectadas, com 810 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (305), Ceará (182), Distrito Federal (160), Minas Gerais (130) e Santa Catarina (107). No caso catarinense, há divergência entre os números por atualização do Ministério da Saúde.

Também registram casos confirmados Rio Grande do Sul (98), Bahia (76), Paraná (65), Amazonas (47), Pernambuco (42), Espírito Santo (33), Goiás (27), Mato Grosso do Sul (23), Acre (17), Sergipe (15), Rio Grande do Norte (13), Maranhão (oito), Alagoas, Tocantins e Mato Grosso (sete), Piauí (seis), Pará (cinco), Rondônia e Paraíba (três), Roraima (dois) e Amapá (um).

Primeiros casos completam quase duas semanas

Em Santa Catarina, os dois primeiros casos confirmados de coronavírus foram divulgados durante coletiva de imprensa com o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, na tarde da quinta-feira, dia 12 de março. Os casos registrados em Florianópolis foi um homem de 34 anos e uma mulher de 28 anos.

Repasse de equipamentos através do Governo Federal

Segundo o governador Moisés, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, prometeu que deve chegar novos equipamentos de proteção individual para Santa Catarina nesta quarta-feira (25).

Questionado sobre a falta de equipamentos e insumos para os servidores da saúde, Zeferino afirmou que, além da expectativa da chegada de mercadorias através do governo federal, a secretaria de Estado da Saúde está em contato com empresas nacioniais, em especial catarinenses, para manter o estoque de insumos.

Medidas econômicas

Após os dados de casos confirmados e suspeitos, nesta semana, o governo de Santa Catarina deve buscar novas medidas econômicas para amenizar as dificuldades que as microempresas deverão sofrer por causa da crise.

Além disso, o governador afirmou que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, novas medidas econômicas deverão ser estudadas e aprovadas. Entre elas, autorizar novos empréstimos e refinanciamentos com os Estados e novo prazo para pagar os precatórios.

Com informações da Agência Brasil.

Saúde