Santa Catarina tem 4.562 casos e 79 mortes por coronavírus, alta de 230 casos

Atualizado

O Governo do Estado de Santa Catarina confirmou 4.562 casos e 79 mortes pelo novo coronavírus, alta de 230 casos em 24h, e taxa de letalidade de 1,73%.

São 11 mortes a cada 1 milhão de habitantes, 5 vezes menos do que o Brasil. Também são 2516 recuperados, ou seja, mais da metade das confirmações.

A única morte ocorrida nas últimas 24h foi de uma paciente com comorbidades, sem mais detalhes citados pelo governo do estado.

Há expectativa de atualizações sobre a liberação do transporte coletivo, citado nesta semana e fruto de reuniões realizadas entre diversas secretarias, sindicatos empresariais e entidades ligadas ao setor. O serviço foi considerado essencial pelo parlamento estadual, mas o prefeito da capital catarinense adiantou que manterá a circulação de ônibus vetada em Florianópolis.

Assista:

Leia também:

São, também, 134 pacientes em UTI, dos quais 73 estão em ventilação mecânica, 75 são casos confirmados e 59 são suspeitos.

Atualmente, o estado encontra se com a maior taxa de ocupação de leitos para Covid-19, 21,36%, com média de permanência de 14,1 dias por paciente.

Organização dos equipamentos e alta nos casos

Os casos são distribuídos em 166 cidades, ao passo que as mortes são distribuídas em 40. Quando indagado sobre a alta de casos e a destinação de equipamentos, o Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, afirmou que sempre é feito um planejamento nestes casos, e que quando há uma situação como essa a gestão estuda a reorganização das estruturas.

Motta diz que o equipamento é remanejado de UPAs, SAMUs e demais unidades para redirecionar para instituições de referência em tratamento intensivo. Por exemplo, foram 5 leitos destinados para Chapecó e 4 para Concórdia, nos últimos dias, como modo de conter a alta de casos na região, que ocorre há semanas.

Mais uma vez, o secretário reafirmou que os dados sobre o isolamento social, afirmando que quando abaixo de 60% o resultado “não é muito efetivo”, considerando os 39% desta sexta (15).

“Há uma tendência de elevação por várias questões. O inverno chegou, está fazendo frio há vários dias. Nós temos, infelizmente, neste momento no estado, um índice de isolamento social considerado preocupante, no mínimo. E uma outra questão é que o [governo do] estado tem distribuído teste rápido par ao estado inteiro. Já foram dezenas de milhares de testes distribuídos, isso também tem impacto na curva de positivados, porque nós estamos testando mais.”, pontuou.

O Caso dos Respiradores

A remessa de 50 respiradores, adquiridos da Veigamed, chegaram nesta quinta (14), mas podem ficar retidos por 90 dias, pois, conforme reportado mais cedo pelo ND+, o primeiro lote com os 50 respiradores comprados pelo governo de Santa Catarina ainda não teve a sua Declaração de Importação apresentada para Receita Federal.

Simultaneamente, fruto de decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública da comarca da Capital, corre uma ação que solicita ressarcimento do valor dos respiradores aos cofres públicos.

Moisés reafirmou o procedimento em coletiva, afinal, os aparelhos devem ser encaminhados à DEIC (Diretoria Estadual de Investigações Criminais), para avaliação. “Se não houver utilidade para o estado mandaremos para a justiça para outro encaminhamento”, apontou.

O governador também citou que irá primar por uma avaliação que não seja feita somente pelo governo do estado, mas também por profissionais da área que possam dar um parecer técnico.

Os respiradores foram adquiridos por R$ 33 milhões, mas após denúncia do The Intercept, foram centro de uma crise que resultou em CPI e investigação pelos órgãos de segurança.

Saída de Teich

Indagado sobre os efeitos da saída do ex-ministro da saúde, Nelson Teich, que ocorreu hoje ao meio dia, Moisés citou que sempre teve “franco acesso” à Brasília.

O governador crê que essa relação será mantida, com diálogo tranquilo entre o governo do estado e o Planalto, afirmando que se reuniu com Teich há poucos dias.

Motta endossou a fala afirmando que o estado não “terá prejuízo”, e também sempre teve boa representatividade na pasta, em Brasília.

Fundo do Badesc

Foi anunciado também uma destinação de R$ 70 milhões para linhas de crédito de empresas de turismo, via Badesc. Destes, são R$ 50 milhões de subsídio e R$ 20 milhões de repasses do Ministério do Turismo, pelo Fungetur (Fundo Geral de Turismo).Contudo, ele afirma que a demanda é grande, e que o valor “está todo tomado”.

Segundo o Presidente do Badesc, Eduardo Machado, será priorizada a demanda já existente. “O empreendedor que se inscreveu na linha e tem interesse, precisa completar a documentação, pois sem a documentação completa não tem a liberação”.

“No caminho certo”

Moisés, ao início do pronunciamento, ressaltou que está satisfeito com as medidas estaduais, atestando que “Santa Catarina está no caminho certo”.

Os dados apontam que mais da metade dos pacientes estão recuperados, porém, houve alta de 512 casos nesta quinta, recorde em 24h desde o início da pandemia.

O governador também afirmou que “torcer contra o governo é torcer contra o povo de Santa Catarina”, fundamentando a fala nas ações de combate à pandemia tomadas até agora, e no fato de que o estado tem menor taxa de desemprego no primeiro trimestre do ano.

Saúde